El Sanjuanino

Image and video  hosting by TinyPic

De acordo com portenhos a melhor empanada do planeta é a feita na Argentina e a melhor da capital é a do famoso San Juanino, polêmicas a parte eu fui conferir de perto a famosa empanada – um composto de farinha, ovos, água e algum tipo de gordura, a massa em formato de meia-lua teve origem na antiga Pérsia, onde era recheada com carneiro. Na Andaluzia, a mesma ganhou o recheio de carne bovina e aportou nas Américas, mas foi principalmente na Argentina, Chile, Bolívia e Colômbia que a empanada realmente virou parte da culinária local. E na Argentina você pode encontrar esse salgado assado ou frito, e encontra na versão jamón y queso (presunto e queijo), queso e cebola ou carne picada na ponta da faca com um molho maravilhoso.

“Comer es un acto biólogico
comer en El Sanjuanino
es un acto cultural”

Image and video hosting by TinyPic

Sabe o que esses dedinhos lindos de morrer estão segurando? Sim é mesmo um pedaço de empanada.

*Devo dizer que apesar da fama do lugar e do encando do mesmo, essas não foram as empanadas mais memoráveis que comi por lá e logo logo eu conto pra vocês onde foi que comi as melhores empanadas.

Anúncios

Buenos Aires

Utilizei dicas de amigos e o guia 4 rodas para fazer minha viagem de férias e foi uma viagem memorável pois meu querubim caçula se comportou super bem, deixando até que eu visita-se a museus – mas hoje vou começar pelo Café Tortoni um lugar mágico, delicado e imponente ao mesmo tempo, que conserva sua arquitetura e decoração desde a época que abriu suas portas ao público e isso tem chão viu colegas.

Image and video hosting by TinyPic

Aqui a dúvida cruel na escolha do que pedir…

Image and video hosting by TinyPic

Eu fiquei completamente apaixonada pelo teto e enquanto namorava o mesmo pensava em quantas boas risadas e histórias esse café me renderia na presença de minha amiga Valentina e Akemi.

Image and video hosting by TinyPic

Os churros argentinos são diferentes dos nossos e confesso que prefiro a maneira que eles fazem e esse dulce de leche me fez suspirar e não pense que foi só a mim. 🙂

Image and video hosting by TinyPic

E a primeira vez a gente nunca esquece né não?! E o Enzo teve seu primeiro encontro com o doce de leite e el niño se acabou, se entregou sem pudor ao famoso dulce de leche de Los Hermanos. (rs)

Image and video hosting by TinyPic

Pudim de maria-mole com calda de morangos

Porque as vezes a vida se torna tão amarga que é preciso de verdade um docinho assim para alegrar o dia, e foi bem numa dessas tormentas que fiz esse pudim que é um carro chefe nas sobremesas do dia a dia da minha casa e se você tem formiguinhas assim como eu tenho, então você precisa de uma receita como essa.

Image and video hosting by TinyPic

  • 1 pacote de pó para preparo de maria-mole no sabor coco
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 caixinha de creme de leite

Ferva metade da água pedida na embalagem para o preparo da maria-mole e dissolva o pó nela, mexendo bem. No liquidificador coloque o leite condensado, creme de leite e o pó dissolvido. Bata até misturar bem. Coloque numa forma de preferência de fundo removível, molhada levemente com água e leve para gelar por pelo menos 3 horas. Depois de firme, desenforme e cubra com a calda de morangos.

Para a calda – Lavei 500g de morangos e parti ao meio, juntei 1 xícara de açúcar e levei ao fogo baixo até que a fruta estivesse cozida e calda grossinha. Depois de pronta e fria cobri o pudim com a mesma.

Arroz rico

Eu gosto muito dos pratos únicos, acho prático e uma ótima alternativa quando temos presa ou estamos afim de passar pouco tempo na cozinha e essa receita que remete uma galinhada, porém mais completa pois a galinhada que conheço que é bem típica no meu estado é feita com frango e milho verde apenas – foi executada em um dia de sufoco, de correria sem fim mas mesmo em um dia assim tive um almoço muito gostoso e prático. Isso não é ótimo?

Image and video hosting by TinyPic

Para executar a receita, lance mão de uma panela de fundo pesado e deixe suar uma cebola e dois dentes de alho bem picados, some meio quilo de coxinhas de frango já temperadas e deixe dourar, junte o arroz (eu utilizei 2 xícaras de chá) e deixe refogar bem, some 1 cenoura grande cortada em cubinhos, e 3 xícaras (chá) de folhas de espinafre – nesse momento junte o caldo de frango bem quente e deixe a panela meio tampada e espere cozinhar, quando o caldo estiver quase seco abafe a panela e deixe terminar o cozimento. Sirva com uma boa salada de folhas.

*Eu utilizei um toquinho de açafrão da terra.

Bolo de pamonha

Porque é tempo de festa junina ou festa na roça e as comidas típicas dessa festa me encantam – porque ontem eu fui a uma festa na roça muito divertida e levei meus dois caipirinhas, que se divertiram e comeram muita pamonha, galinhada, canjica, arroz doce, milho cozido, caldinho de feijão e frango e muito mais. Alguém mais aí gosta de festa na roça?!

Image and video hosting by TinyPic

BOLO DE PAMONHA DELICIOSO

3 ovos grandes em temperatura ambiente

2 colheres de sopa de manteiga derretida

1 lata de milho verde cozido ao vapor

1 medida da lata de leite comum

1 e 1/2 xícara de chá de açúcar

1 xícara de chá de farinha de milho (tipo Milharina)

1 vidro de leite de coco (200ml)

2 colheres de sopa de farinha de trigo comum

3 colheres de sopa de queijo ralado (50gr)

1 colher de sopa de fermento em pó

Você vai colocar no liquidificador todos os ingredientes molhados primeiro, bater bem e ir colocando os ingredientes secos aos poucos, sem parar de bater.

Unte uma forma de buraco e polvilhe com fubá ou farinha. Despeje a massa do bolo e leve a assar por 20 minutos em forno quente. Abaixe a temperatura do forno e asse mais 25 minutos ou até que enfie um palito e este saia limpo e seco.

Deixe esfriar, desenforme e polvilhe açúcar com canela em pó antes de servir.

Fonte – Blog Na Cozinha da Lu

Risoto com presunto de parma

Image and video hosting by TinyPic

Risoto uma relação de amor sem fim – Essa relação somada a um friozinho, um bom vinho e uma ótima companhia é realmente perfeito.

Para fazer o esquema de sempre, basta colocar na busca a palavrinha mágica “risoto” e vai encontrar o passo a passo. Neste a única diferença foi o uso do presunto de parma cortado em tiras e uma generosa quantidade de alho poró que foi suado no azeite junto com o presunto, somei 2 xícaras de arroz arbório uma taça de vinho branco e só depois comecei a adicionar o caldo de legumes que fui colocando aos poucos até atingir o ponto do cozimento do arroz, que deve ser “al dente” – então finalizei com uma colher generosa de manteiga outra de queijo cremoso e um toque de parmesão ralado na hora. Eis que tive um jantar cremosinho e quentinho para aquecer as barriguinhas do eleitorado.

Pula fogueira Iaiá, pula fogueira Ioiô….

Image and video hosting by TinyPic

Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira já queimou o meu amor.

* Esta receita veio lá da cozinha da cumadre Akemi e é um luxo só.

Bolo gelado de fubá

Massa
– 6 gemas (ovos grandes)
– 200g de manteiga sem sal, levemente amolecida
– 2 xícaras (chá) de açúcar refinado
– 1 lata de milho verde com a água e batido no liquidificador
– 1/2 vidro de leite de coco (100ml)
– 1 xícara (chá) de farinha de trigo
– 1 1/2 xícara (chá) de fubá peneirado
– 1/3 xícara (chá) de queijo parmesão ralado fino
– 1/2 xícara (chá) de óleo de milho
– 1 colher (sopa) de erva doce – opcional (não utilizei)
– 1 colher (sopa) de fermento em pó
– 1 pitada de sal
– 6 claras batidas em neve firme

Calda de coco:

– 1 vidro de leite de coco (200ml – usei 250ml)
– 1 xícara (chá) de calda tradicional
– 1 colher (chá) de essência de baunilha (não usei)

Calda tradicional:

– 1 xícara (chá) de açúcar refinado
– 2 xícaras (chá) de água filtrada
– 6 cravos da índia inteiros
– 2 ramas de canela

Para envolver:

– 2 pacotes de coco ralado seco (100g cada)

Modo de Preparo

Massa:

Na batedeira, bata as gemas com o açúcar e a manteiga até obter
um creme claro e fofo.

Em seguida, junte o milho verde batido, o leite de coco, a
farinha de trigo, o fubá, o queijo ralado e o óleo de milho e
bata muito bem.

Desligue a batedeira e acrescente o sal, o fermento em pó, a
erva-doce (opcional) e, por último, as claras batidas em neve
dura, envolvendo delicadamente.

Coloque em forma retangular nº. 4 untada com manteiga e
enfarinhada. Leve ao forno pré-aquecido à 200ºC (assei a 180oC) e asse até que
esteja dourado e firme. Deixe esfriar, corte em pedaços e
passe-os pela calda e pelo coco ralado. Embrulhe em papel alumínio e leve para a geladeira de preferência de um dia para outro.

Calda de coco:

Misture o leite de coco, a calda e a essência de baunilha e
empregue.

Calda tradicional:

Leve ao fogo (sem mexer) o açúcar, a água, os cravos e a canela.
Deixe ferver por cinco minutos. Empregue quando frio.

Fonte – Blog Pecado da Gula