Bolonhesa de Porco

bolonhesa

Sempre recebo email perguntando se vale mesmo a pena investir em um ou outro eletrodoméstico e sempre falo que na cozinha uma boa panela, umas boas espátulas e colheres de bambu, um bom pilão de pedra sabão, uma boa faca e tábua de corte e bons ingredientes já andou metade do caminho, e quando o negócio é colocar algo na tomada eu diria que um bom processador e um bom moedor de carnes (semi profissional) é o céu. E com esse bom moedor nasceu esse bolonhesa totalmente homemade e que foi uma almoço muito feliz e agradável – a influência veio do casal mais querido do mundo da gastronomia ; Jefferson Rueda e Janaína Rueda que faz do porco a estrela da sua casa e eu carrego muita influência deles sem sombras de dúvida.

Para o Bolonhesa – Utilizei 1  1/2 de lombo de porco, 100 g de copa fresca suína, 3 latas de tomates pelados cortados em cubos, 1 cebola pequena picadinha, 1 dente de alho sofrido com sal grosso no pilão, ervas e azeite.

Aqueci uma panela de fundo pesado, reguei com azeite e deixei refogar a carne, quando estava refogada somei a cebola picadinha, o alho sofrido e deixei murchar um pouco e pegar sabor, somei os tomates pelados em cubos as ervas de minha preferência e deixe cozinhar lentamente em fogo bem baixinho – até que esse molho ficasse bem apuradinho e cheio de sabor.

Para a carne eu comprei fresca, cortei em tiras largas e deixei quase começar a congelar, passei pelo meu moedor de carne e já utilizei.

Depois deste molho pronto, coloquei por cima de um espaguete que foi cozido ao dente e salteado no azeite aromatizado com ervas e servi com uma linda chuva de queijo canastra de leite cru.

Arroz de puta rica com fitas de mandioca crocante

arroz

Esses dias me inspirei e executei uma releitura do famoso arroz de puta rica de Janaína Rueda com algumas influências que tive no último encontro com Ana Luiza Trajano e suas pesquisas – esse arroz se parece muito com um Maria Izabel ou um arroz de forno eu diria que ele se encontra entre os dois, eu utilizei o coentro pois em seu Maria Isabel  Ana L. Trajano o utilizou e achei sensacional o uso dessa folhinha, ela levantou o arroz o deixando assim inesquecível, hoje ao fechar os olhos e mergulhar nas lembranças de sua palestra ainda consigo sentir o sabor e visualizar a cor linda daquele arroz, por essa cor e em busca deste tom eu utilizei colorau que no final levou meu arroz ao tom desejado, e ficou realmente muito bom, o servi com fitas crocantes de mandioca orgânica que foi outra influência que tive vinda de Ana.

Para fazer meu arroz, peguei 300 g de linguiça fresca e escaldei em água quente, depois desse processo eu cortei em cubos bem pequenos, e aqueci uma panela de fundo pesado – reguei com fio de óleo de cozinha e refoguei essa linguiça picadinha até que fica-se bem douradinha, somei uma cebola picadinha e meia colher de sobremesa de coloral, somei dois tomates sem pele em cubos e deixei formar um molho (adicione um pouco de água quente se seu tomate não estiver muito maduro) assim que formar um molhinho some o arroz (que já foi previamente cozido) e mexa para que tudo se misture e pegue o sabores, some coentro picadinho e sirva em seguida.

Obs – Se sobrou uma liguiça assada do seu jantar ou churrasco , pique em cubos pequenos e faça esse arroz que fica delícia, e o mesmo vale para sobras de carne de churrasco.

 

Para as fitas de mandioca – Eu comprei mandioca orgânica e passei no mandoline  bem fininho e fritei em óleo de cozinha quente, depois de dourado eu deixei escorrer em papel e temperei com sal e pimenta moídos na hora.

 

 

O frango, o caldo a sopa e a economia doméstica

Refogado

O peito de frango bem temperadinho foi para a panela para ser cozido por muito e muito tempo, de lá saiu um maravilhoso caldo de frango com legumes que foi a base da sopa de legumes dos meus pequenos, o frango eu desfiei e um pouco guardei para brilhar na minha salada de couscous marroquino do almoço do dia seguinte e no jantar a outra porção de frango desfiado virou um incrível molhinho feito com uma base de tomates pelados, cebola, alho e azeitonas picadinhas, e dentro de pãozinho macio e integral virou o lanchinho do jantar.

Carne, queijo, crisp de bacon e chutney de cebola

Cebola

Brisando na Cozinha do FeijaoNoPrato, e dois ou três dedos de prosa – Tive o prazer de mais uma vez esse ano tornar real uma amizade virtual e ainda participar das pequenas doses de trafico de alimentos e ingredientes que rola nos bastidores do Encontro Gourmet e não poderia jamais deixar de dividir com vocês essa delícia, o incrível chutney de cebolas dessa moça linda e encantadora e olha como sou boa gente vou contar como você pode encontrar essa *gostusura, correr lá no blog dela que vou deixar aqui e fazer sua encomenda que ela envia potes cheio de delicias e cercado de carinho.

Eu fiz um hambúrguer, com queijo cheddar e por cima coloquei uma boa porção desse chutney e para finalizar um crispe de bacon bem crocante.

Para o hambúrguer – 1q de fraldinha, 4colheres (sopa) de azeite e 3 colheres (sopa) de água gelada, amasse bem até que essa carne pegue uma liga, molde os hambúrgueres de 150g de leve na chapa quente, tempere com sal e pimenta moídos na hora, quando virar essa carne tempere novamente com sal e pimenta moídos na hora, coloque o queijo abafe e deixe derreter, coloque no pão, coloque uma porção da cebola e finalize com crisp de bacon.

Para o bacon basta levar as fatias ao micro-ondas e deixar que as mesmas fritem e fique crocantes, pode ser no forno no fogão também, depois basta quebrar com ajuda de uma faca em pedacinhos que ficam bem crocantes.

Sanduba e a tal da economia doméstica

Sanduiche

Bom meu povo, semana passada abri ao lado nas categorias, uma especial “Economia Doméstica” é que a muito tempo venho pensando a respeito disso, vejo sempre as pessoas reclamarem do preço das coisas, do aumento que vem sempre aparecendo, da sensação de ir ao mercado pela manhã e voltar a tarde e o preço não ser mais o mesmo, e por essas e outras histórias eu resolvi fazer essa categoria aqui no blog. Acredito que o grande vilão de gastos estratosféricos em supermercados está na falta de planejamento e organização e isso deve ser feito bem antes de pensar em chegar até o hiper.

1 – Se alimente bem antes de ir as compras.

2- Faça um cardápio semanal

3- Se programe no sentido de encontrar uma carne ou frango ou peixe mais em conta ou qualquer legume e fruta.

4- Pesquise os produtos que estão na época .

5- O alimento que vê que virou o vilão da vez no quesito preço, fuja dela, substitua ou simplesmente pare por um tempo de consumi-lo.

Com essas pequenas atitudes já vai sentir a diferença – eu fiz carne de panela, já cozinhei um pouco a mais pois como o preço estava bom eu comprei um pouco a mais e fiz um pouco de picadinho com legumes, outro pedaço com batatas e ainda me sobrou um pedaço para desfiar e fazer sanduiches e saladas e isso é planejar é economia doméstica. Espero de verdade que gostem dessa categoria.

Para o *sanduba em questão, eu utilizei carne de panela desfiada, queijo mussarela derretido na fridideira em água quente e para enriquecer, saladinha de mini agrião e tomatinhos em cubos isso tudo regado com azeite honesto.

Gallete ou Torta Rústica de Tomates Assados

torta rústica

Era feriado, era dia de preguiça e era dia de fazer o casamento da farinha com fermento e se tiver recheio para coroar essa união aí a festa fica completa. Coloquei lindos tomatinhos cerejas vermelhinhos e amarelos, sal e pimenta moídos na hora, cebola picada em pedaços grandes e dentes de alho tudo isso somado a uma generosa regada de azeite honesto vai ao forno bem baixinho, não precisa pressa o segredo aqui é a paciência. Depois desses tomatinhos ficarem macios mas sem se desmanchar, do tipo que vai explodir na boca a cada naco de torta devorado, você retira do forno e reserve e nesse momento começa a brincadeira com a massa de pão, de torta ou o simples encontro da farinha com fermento.

 

Massa

  • 1/2 tablete de fermento biológico
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 1/3 de xícara (chá) de leite morno
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (café) de sal
  • 1 ovo
  • 3 colheres (sopa) de margarina em temperatura ambiente (usei margarina pra uso culinário)
  • Óleo para untar

Dissolva o fermente com o açúcar e o leite morno, acrescente 2 colheres (sopa) de farinha de trigo e misture bem. Cubra e deixe descansar por 15 minutos. Em uma tigela misture o restante da farinha de trigo e o sal, faça uma abertura no centro e coloque o ovo, a margarina (ou manteiga) e a massa fermentada. Junte a mistura de fermento e trabalhe com a massa em uma superfície enfarinhada até que esteja macia e homogênea. Coloque em um recipiente untado com óleo e gire a massa para que fique besuntada com o óleo. Cubra e deixe crescer por 40 minutos. Após esse tempo baixe a massa com as mãos e deixe crescer novamente por 15 minutos. Abra a massa em círculo (30cm de diâmetro) e coloque sobre o fundo externo de uma assadeira (25cm de diâmetro) eu usei uma assadeira de vidro para pizza e apenas enfarinhada. Nesse momento eu apliquei o recheio , que no meu caso foi queijo fresco (conservado em salmora, esse queijo tem o sabor mais forte e mais pronunciado que o queijo fresco que estamos acostumados, ele dá recheios de tortas e acompanhamentos de saladas maravilhosos – vou deixar a marca aqui em baixo), coloquei por cima os tomates assados tendo o cuidado de separar bem o azeite e para fechar com chave de ouro coloquei um pouco mais do queijo e levei ao forno médio até que a massa esteja dourada e assada o que seria +/- 30 minutos.

Ricota Fresca

Ricota

Eu ando pensando e repensando minhas compras em super e hipermercados, sempre fiz muitas coisas em casa mas ando pensando que deveria fazer mais e seguindo essa proposta fiz minha ricota ontem a noite, para fazer o almoço de hoje (que foi uma simples deliciosa lasanha de espinafre com ricota), e hoje fiz outra ricota que vou mostrar amanhã o destino dessa outra ricotinha, sugiro que fiquem ligados. O fato é que ricota é algo tão simples de se fazer que não vejo nenhum motivo se quer para cair na tentação e comprar uma pronta e olha essa receita te renderá uma ricota macia, cremosinha, úmida e não seca como a grande maioria que encontramos no mercado.

A receita é de uma amiga que tenho muito, muito carinho um companheira de blog das antigas e vou deixar lá embaixo o endereço dela e sugiro que vão até lá e leiam com carinho o trabalho dela que eu adoro e super recomendo.

1 Litro de Leite de Saquinho com alto teor de gordura (eu faço com leite integral de caixinha e dá super certo)
3 colheres de sopa de vinagre branco ou de limão
6 colheres de sopa de creme de leite
sal a gosto

Ferva o leite, desligue o fogo e acrescente o vinagre ou o limão, misturando bem.

Feche a panela e aguarda dez minutos.

Pegue uma peneira fina, coloque um pano limpo dentro da peneira (pode ser pano de prato nunca usado ou uma fralda de criança – também nunca usada, né?), coloque em cima de uma vasilha para escorrer o soro.

Volte para a panela, você verá o soro separado da gordura do leite. Leve esse leite e coloque na peneira, deixe o soro escorrer para a vasilha, apertando o pano para tirar o liquido.

Deixe descansando durante meia hora, coloque a coalhada (gordura do leite) em uma vasilha para temperar.

O tempero é a gosto, mas terá que adicionar o sal e o creme de leite (quem quiser, pode colocar um pouco do soro no lugar do creme).

também poderá colocar salsinha, cebolinha, alho, pimenta do reino ou pimenta calabresa… enfim, a criação fica com você.

Mas se você quiser colocar apenas o sal e o creme de leite, já fica maravilhoso.

Outra coisa, se o leite coalhou ou azedou, não jogue fora, no lugar de levar ao fogo, você já pode colocar direto no pano e a peneira para tirar o soro e fazer a sua ricota.

O soro do leite, você pode guardar em uma garrafa pet para fazer pães ou tortas. Existem sucos que usam esse soro do leite e são bem caros por sinal.

Se você for fazer suco, use o leite que coalhou naturalmente, já que o soro que tem limão ou vinagre, tem o gosto mais ácido.

Outra coisa que eu descobri, é que o soro do leite também é o famoso e querido Whey Protein. O soro do leite é cheio de proteínas, vitaminas, minerais e enzimas.

Fonte – Blog Manga com Pimenta