Bolonhesa de Porco

bolonhesa

Sempre recebo email perguntando se vale mesmo a pena investir em um ou outro eletrodoméstico e sempre falo que na cozinha uma boa panela, umas boas espátulas e colheres de bambu, um bom pilão de pedra sabão, uma boa faca e tábua de corte e bons ingredientes já andou metade do caminho, e quando o negócio é colocar algo na tomada eu diria que um bom processador e um bom moedor de carnes (semi profissional) é o céu. E com esse bom moedor nasceu esse bolonhesa totalmente homemade e que foi uma almoço muito feliz e agradável – a influência veio do casal mais querido do mundo da gastronomia ; Jefferson Rueda e Janaína Rueda que faz do porco a estrela da sua casa e eu carrego muita influência deles sem sombras de dúvida.

Para o Bolonhesa – Utilizei 1  1/2 de lombo de porco, 100 g de copa fresca suína, 3 latas de tomates pelados cortados em cubos, 1 cebola pequena picadinha, 1 dente de alho sofrido com sal grosso no pilão, ervas e azeite.

Aqueci uma panela de fundo pesado, reguei com azeite e deixei refogar a carne, quando estava refogada somei a cebola picadinha, o alho sofrido e deixei murchar um pouco e pegar sabor, somei os tomates pelados em cubos as ervas de minha preferência e deixe cozinhar lentamente em fogo bem baixinho – até que esse molho ficasse bem apuradinho e cheio de sabor.

Para a carne eu comprei fresca, cortei em tiras largas e deixei quase começar a congelar, passei pelo meu moedor de carne e já utilizei.

Depois deste molho pronto, coloquei por cima de um espaguete que foi cozido ao dente e salteado no azeite aromatizado com ervas e servi com uma linda chuva de queijo canastra de leite cru.

Anúncios

Biscoitos Passavento

passa tempo copia

Uma tarde fazendo biscoitos e me divertindo com os filhos, pintaram e comeram a valer – gosto desses momentos, que com certeza vão ficar gravado na memória deles, e só prova que não precisamos de brinquedos caros para sentar e dividir um pouco do tempo com os pequenos, e eles na cozinha praticam vários exercícios como; movimento de pinça fina, coordenação motora, criatividade tudo isso sem contar a alegria, acho que vocês devem correr para cozinha e fazer a festa com a criançada, só acho.

 

  • 320g farinha de trigo
  • 85g de leite em pó
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 pitada de sal
  • 200g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 85g de cream cheese em temperatura ambiente
  • 200g açúcar refinado
  • 1 colher de chá de extrato ou essência de baunilha
  • 1 ovo grande
  • 1 pote grande de nutella (ou o recheio que preferir)
  • Canetinhas de corante comestível

Aqueça o forno a 180 graus. Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga.

Misture numa tigela a farinha, leite em pó, fermento e sal. Reserve.

Bata na batedeira a manteiga e o cream cheese. Junte o açúcar e a baunilha e bata até ficar cremoso. Junte o ovo e bata para combinar. Junte a mistura de farinha e bata em velocidade baixa somente até a farinha sumir na massa.

Divida em duas porções forme dois discos. Embale em plástico e leve à geladeira por 30 minutos.

Abra a massa entre dois plásticos ou duas folhas de papel manteiga com um rolo até ficar com mais ou menos 0,5cm de espessura. Corte com um cortador quadrado e transfira para as assadeiras.

Asse por mais ou menos 15 minutos, ou até dourarem ligeiramente ao redor. Deixe esfriar nas assadeiras.

Desenhe figurinhas direto nos biscoitos frios com as canetinhas de corante. Separe metade dos biscoitos e coloque uma pequena porção de recheio com a ajuda de uma colherinha ou saco de confeitar. Cubra com os biscoitos restantes.

Podem ser guardados em pote com tampa por até 1 semana.

Fonte – The Cookie Shop

passa copia

Arroz de puta rica com fitas de mandioca crocante

arroz

Esses dias me inspirei e executei uma releitura do famoso arroz de puta rica de Janaína Rueda com algumas influências que tive no último encontro com Ana Luiza Trajano e suas pesquisas – esse arroz se parece muito com um Maria Izabel ou um arroz de forno eu diria que ele se encontra entre os dois, eu utilizei o coentro pois em seu Maria Isabel  Ana L. Trajano o utilizou e achei sensacional o uso dessa folhinha, ela levantou o arroz o deixando assim inesquecível, hoje ao fechar os olhos e mergulhar nas lembranças de sua palestra ainda consigo sentir o sabor e visualizar a cor linda daquele arroz, por essa cor e em busca deste tom eu utilizei colorau que no final levou meu arroz ao tom desejado, e ficou realmente muito bom, o servi com fitas crocantes de mandioca orgânica que foi outra influência que tive vinda de Ana.

Para fazer meu arroz, peguei 300 g de linguiça fresca e escaldei em água quente, depois desse processo eu cortei em cubos bem pequenos, e aqueci uma panela de fundo pesado – reguei com fio de óleo de cozinha e refoguei essa linguiça picadinha até que fica-se bem douradinha, somei uma cebola picadinha e meia colher de sobremesa de coloral, somei dois tomates sem pele em cubos e deixei formar um molho (adicione um pouco de água quente se seu tomate não estiver muito maduro) assim que formar um molhinho some o arroz (que já foi previamente cozido) e mexa para que tudo se misture e pegue o sabores, some coentro picadinho e sirva em seguida.

Obs – Se sobrou uma liguiça assada do seu jantar ou churrasco , pique em cubos pequenos e faça esse arroz que fica delícia, e o mesmo vale para sobras de carne de churrasco.

 

Para as fitas de mandioca – Eu comprei mandioca orgânica e passei no mandoline  bem fininho e fritei em óleo de cozinha quente, depois de dourado eu deixei escorrer em papel e temperei com sal e pimenta moídos na hora.

 

 

O frango, o caldo a sopa e a economia doméstica

Refogado

O peito de frango bem temperadinho foi para a panela para ser cozido por muito e muito tempo, de lá saiu um maravilhoso caldo de frango com legumes que foi a base da sopa de legumes dos meus pequenos, o frango eu desfiei e um pouco guardei para brilhar na minha salada de couscous marroquino do almoço do dia seguinte e no jantar a outra porção de frango desfiado virou um incrível molhinho feito com uma base de tomates pelados, cebola, alho e azeitonas picadinhas, e dentro de pãozinho macio e integral virou o lanchinho do jantar.

WBD 2015 Pão de Folhas de Beterraba

Pão de folhas de beterraba

Pelo segundo ano o FeijaoNoPrato participa a convite da Zorra desse mega e delicioso evento, o dia mundial do pão, fiquei super feliz ao ver no blog de minha querida amiga Ora Pitangas, o quanto a participação dos blogues tupiniquins está crescendo, motivo de muito orgulho para uma apaixonada por pães. A minha escolha para esse dia foi esse incrível pão de fermentação natural, enriquecido com folhas de beterraba – minha paixão pela fermentação natural foi ativada por minha amiga de longa data Angela, esse caminho não te dá escolha, depois que você dá o primeiro passo, não consegue não mais voltar, é totalmente sem volta.

wbd 2015

A receita requer uma certa atenção e o fermento é como filho precisa ser cuidado e alimentado. Para capturar o fermento, sugiro que leia o texto do Ora Pitanga. E já deixo claro aqui que estou aberta a ajudar quem precisar e no que for preciso pois essa é uma experiência que me encantou por demais e acredito que todos devam provar.

  1. você vai precisar de um vidro esterilizado e com tampa
  2. a cada dia após a mistura de agua e farinha, você poderá tampar o vidro, apenas deixando a tampa sobre ele, sem fechar completamente ou
  3. cobrir o vidro com filme plastico e fazer 3 ou 4 furos pequenos com palito, eu usei esta opção
  4. não usei a balança e sim medidas em colheres
  5. achei que misturar com um palito longo (hashi) mostrou-se mais eficiente deixando a mistura sem grumos
  6. deixar o vidro num local onde não pegue sol nem vento, enfim onde não te atrapalhe mas que esteja a vista
  7. usei marcadores para marcar o nível do fermento e data e hora da mistura
depois do fermento  pronto, os procedimentos são os seguintes:

  1. separar 30 g e guardar na geladeira  por até 10 dias, deixando em “dormência”
  2. depois de 10 dias se  não for fazer pão ,deverá fazer o processo de “refresca”o seja alimenta-lo novamente
  3. se for apenas para guarda-lo novamente, use pequenas quantidades de farinha e agua, por exemplo 2 colheres de sopa  farinha e 1 de agua, misture bem e deixe em “repouso” por umas 4 horas coberto apenas com o filme plástico com pequenos furos, depois das bolhas estarem ativas, separe 30 gramas e guarde na geladeira em vidro tampado, não esqueça de colocar a data, o restante você poderá doar ou descartar, a “refresca”é necessária para seu fermento continuar sempre em atividade.
pão básico com fermento natural

  1. retire a sua isca da geladeira, raspe todo conteúdo com uma espatula e coloque num bowl
  2. junte 1 xícara de farinha de trigo e 3/4 de xícara de agua, misture bem
  3. deixe levedar por aproximadamente 4 horas até ter muitas bolhas
  4. separe 30 g do fermento ativo e volte para a geladeira
  5. ao o que sobrou no bowl junte 150 ml de agua, misture bem, ficará um liquido leitoso
  6. agregue 2 colheres de sopa de açúcar e 2 xícaras de farinha de trigo misture com uma espatula ou colher de pau
  7. neste momento junte 1 colher de sopa de sal e 2 colheres de sopa de azeite, junte mais um pouco de farinha e passe a massa para a bancada para iniciar a sova, dependendo a sua farinha poderá ser necessário quase mais uma xícara de farinha
  8. depois de sovar, boleie a massa e coloque para crescer num bowl untado e coberto
  9. deixe crescer por um bom tempo, em dias quentes de 1 a 2 h em dias frescos de 2 a 4 h
  10. polvilhe a bancada com farinha e tire o gaz a abaixando a massa, sovando ligeiramente e dobrando como um envelope por 3 ou 4 vezes
  11. em seguida bolei a massa para finalizar o crescimento
bem, eu não tenho cesto de fermentação, então improvisei assim, forrei uma cesta com um tecido (usei um guardanapo de mesa, de linho) polvilhei farinha com uma peneira e acomodei a massa com a parte lisa para baixo, em seguida polvilhei mais farinha e encaixei a cesta dentro de um saco plástico, usei saco de arroz vazio, fechei e deixei fermentando por 1 hora, depois deste tempo, tirei a cesta do saco, polvilhei mais farinha na parte superior da massa e virei sobre uma assadeira de pizza, delicadamente tirei a cesta e o tecido, fiz o corte desejado e polvilhei farinha.
o forno deverá estar pré aquecido, assar até ficar corado, você poderá ao invés de colocar farinha, borrifar agua no pão e no forno ou até mesmo manter uma assadeira pequena com agua fervente para causar vapor e dar crocância a crosta do pão.
esta receita rendeu dois pães pequenos, porque optei pela fermentação dentro saco de arroz, porém se você preferir poderá deixar fermentando dentro de uma caixa de isopor ou até mesmo dentro do microondas desligado.
Obs – Antes da ultima fermentação eu acrescentei as folhas de beterraba que foram higienizadas e bem sequinhas.

Sanduba e a tal da economia doméstica

Sanduiche

Bom meu povo, semana passada abri ao lado nas categorias, uma especial “Economia Doméstica” é que a muito tempo venho pensando a respeito disso, vejo sempre as pessoas reclamarem do preço das coisas, do aumento que vem sempre aparecendo, da sensação de ir ao mercado pela manhã e voltar a tarde e o preço não ser mais o mesmo, e por essas e outras histórias eu resolvi fazer essa categoria aqui no blog. Acredito que o grande vilão de gastos estratosféricos em supermercados está na falta de planejamento e organização e isso deve ser feito bem antes de pensar em chegar até o hiper.

1 – Se alimente bem antes de ir as compras.

2- Faça um cardápio semanal

3- Se programe no sentido de encontrar uma carne ou frango ou peixe mais em conta ou qualquer legume e fruta.

4- Pesquise os produtos que estão na época .

5- O alimento que vê que virou o vilão da vez no quesito preço, fuja dela, substitua ou simplesmente pare por um tempo de consumi-lo.

Com essas pequenas atitudes já vai sentir a diferença – eu fiz carne de panela, já cozinhei um pouco a mais pois como o preço estava bom eu comprei um pouco a mais e fiz um pouco de picadinho com legumes, outro pedaço com batatas e ainda me sobrou um pedaço para desfiar e fazer sanduiches e saladas e isso é planejar é economia doméstica. Espero de verdade que gostem dessa categoria.

Para o *sanduba em questão, eu utilizei carne de panela desfiada, queijo mussarela derretido na fridideira em água quente e para enriquecer, saladinha de mini agrião e tomatinhos em cubos isso tudo regado com azeite honesto.

Gallete ou Torta Rústica de Tomates Assados

torta rústica

Era feriado, era dia de preguiça e era dia de fazer o casamento da farinha com fermento e se tiver recheio para coroar essa união aí a festa fica completa. Coloquei lindos tomatinhos cerejas vermelhinhos e amarelos, sal e pimenta moídos na hora, cebola picada em pedaços grandes e dentes de alho tudo isso somado a uma generosa regada de azeite honesto vai ao forno bem baixinho, não precisa pressa o segredo aqui é a paciência. Depois desses tomatinhos ficarem macios mas sem se desmanchar, do tipo que vai explodir na boca a cada naco de torta devorado, você retira do forno e reserve e nesse momento começa a brincadeira com a massa de pão, de torta ou o simples encontro da farinha com fermento.

 

Massa

  • 1/2 tablete de fermento biológico
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 1/3 de xícara (chá) de leite morno
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (café) de sal
  • 1 ovo
  • 3 colheres (sopa) de margarina em temperatura ambiente (usei margarina pra uso culinário)
  • Óleo para untar

Dissolva o fermente com o açúcar e o leite morno, acrescente 2 colheres (sopa) de farinha de trigo e misture bem. Cubra e deixe descansar por 15 minutos. Em uma tigela misture o restante da farinha de trigo e o sal, faça uma abertura no centro e coloque o ovo, a margarina (ou manteiga) e a massa fermentada. Junte a mistura de fermento e trabalhe com a massa em uma superfície enfarinhada até que esteja macia e homogênea. Coloque em um recipiente untado com óleo e gire a massa para que fique besuntada com o óleo. Cubra e deixe crescer por 40 minutos. Após esse tempo baixe a massa com as mãos e deixe crescer novamente por 15 minutos. Abra a massa em círculo (30cm de diâmetro) e coloque sobre o fundo externo de uma assadeira (25cm de diâmetro) eu usei uma assadeira de vidro para pizza e apenas enfarinhada. Nesse momento eu apliquei o recheio , que no meu caso foi queijo fresco (conservado em salmora, esse queijo tem o sabor mais forte e mais pronunciado que o queijo fresco que estamos acostumados, ele dá recheios de tortas e acompanhamentos de saladas maravilhosos – vou deixar a marca aqui em baixo), coloquei por cima os tomates assados tendo o cuidado de separar bem o azeite e para fechar com chave de ouro coloquei um pouco mais do queijo e levei ao forno médio até que a massa esteja dourada e assada o que seria +/- 30 minutos.