Trouxinha de alface ( Comidas da Memória )

Quando vi a chamada da Valentina achei um barato, mas fiquei pensando se devia ou não participar pois eu não tenho muitas lembranças de infância, sou filha de pais separados e só vim conhecer a minha mãe a um ano atras, vi que todas vocês consultaram suas mamães. Eu resolvi ir por algo que me marcou quando pequena que são essas trouxinhas visto que não tinha a quem perguntar, pois fui criada pela minha avó e ela já está com papai do céu. Essas trouxinhas são ótimas para serem servidas para crianças, pois você pode colocar dentro o que sua imaginação mandar. Eu fui de uma misturinha de arroz branco, milho verde natural já cozidinho, cenoura ralada, salsinha, carne moída refogada, grãos de feijão (sim é apenas o grão sem o caldo) e pedacinho de banana frita misture tudo isso e coloque sobre a folha de alface já lavada e feche como uma trouxinha e amarre com cebolinha que foi passada na água quente e depois levou um susto na água gelada. Valentina através da sua idéia ficamos sabendo de lindas histórias e conhecendo muitas receitas boas, obrigada!
* Trouxinha antes de ser fechada.

Risoto de bacalhau

Estava a um bom tempo devendo esse risoto ao meu esposo, resolvi pagar a divida esse fim de semana que passou. Todos sabem da minha paixão por risoto, eu até aguentei um bom tempo sem postar uma receita de risoto (risos), mas esse resolvi dividir com vocês porque fez bastante sucesso.

  • 1 1/2 xícara (chá) de arroz arbório
  • 350 g de bacalhau em lascas
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • 1 cebola média picadinha
  • 1 dente de alho picadinho
  • 1 xícara (chá) vinho branco seco
  • 1 colher (sopa) bem cheia de manteiga
  • 1 litro de caldo de peixe ou de legumes quente

Aqueça numa panela o azeite e refogue a cebola e alho até murchar (não deve dourar), junte as lascas de bacalhau (que ja foram demolhadas e retirado todo sal) refogue um pouco, junte o arroz e deixe refogar um pouquinho acrescente o vinho e deixe evaporar o álcool, mexendo sempre começe a acrescentar o caldo aos poucos sem parar de mexer até que o arroz esteja no ponto (al dente). Desligue o fogo acrescente a manteiga de uma boa mexida, e sirva regado com um bom azeite.
*Procure não usar bacalhau desfiado ele vai se perder muito no meio do arroz.

Arroz Maria Isabel


Mais uma receita tipica do meu estado (Goiás). Foi através dos gaúchos que o arroz-de-carreteiro foi introduzido em Goiás. E rebatizado e aclimatado para Arroz Maria Izabel. Eu servi com um queijinho assado e cebolas carameladas no mel.

  • 2 xícaras (chá) de arroz limpo
  • 300 g de coxão mole em tiras bem fininhas
  • 2 dentes de alho picadinhos
  • 1 cebola picadinha
  • 1 pimenta dedo de moça grande picadinha
  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • 1 cubo de caldo de carne
  • Água quente o suficiente

Aqueça numa panela o óleo e frite a carne até dourar bem e formar um dourado no fundo da panela, acrescente a cebola e o alho e deixe dourar bem, junte a pimenta e arroz o caldo de carne e deixe o arroz refogar bem, acrescente a água e deixe cozinhar. Até que esteja macio.
Para a cebola: Fatie uma cebola grande não muito fina, junte numa frigideira uma colher (sopa) de óleo e deixe a cebola começar a dourar, junte então uma colher (sopa) de mel e deixe até que fiquem bem carameladas.

Tortiglione alla arrabiata

Mas uma receita da minha coleção de revista Claudia Cozinha! Essa massa é bem gostosinha e simples, vou fazer outras vezes. A fome estava tão grande que tirei a foto sem polvilhar o queijo ralado, mas acredite depois da foto isso aconteceu e comi muito bem (risos). Vamos combinar que está foto ficou um desastre. hehehe

  • 500 g de tortiglione
  • 4 colheres (sopa) de zeite de oliva
  • 8 dentes de alho fatiados
  • 1 xícara (chá) de bacon picadinho
  • 6 tomates maduros sem pele e sem sementes
  • 1/2 xícara (chá) de azeitonas pretas em lascas
  • 2 colheres (sopa) de sal grosso (eu achei muito e usei apenas 1)
  • 1/2 xícara (chá) de alcaparras
  • 4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • Pimenta calabresa
  • Sal a gosto

Em uma panela com cerca de 5 litros de água e sal grosso cozinhe a massa até ela começar a amolecer. Escorra e reserve em uma vasilha funda. Em outra panela aqueça o azeite, adicione o alho e o bacon e deixe dourar. Acrescente as azeitonas, as alcaparras e os tomates cortados em tiras largas e espere desmanchar. Mantenha no fogo médio e tempere com sal e a pimenta calabresa. Coloque o trotiglione na panela com molho e termine o cozimento. Sirva com queijo parmesão ralado.
* Essa quantidade de massa rende 4 porções.

Sorvete com calda de pimenta

Esses dias eu estava assistindo um programa da Nigella e ela falava que a calda predileta dela pra acompanhar o sorvete de creme (baunilha) era essa de pimenta, eu fiquei intrigada com a mistura e resolvi fazer aqui no mundo dos querubins, e realmente é uma delícia, a calda fica linda e resulta numa sobremesa bem exótica.

  • 1 xícara (chá) de água
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 3 pimentas dedo de moça picadinha

Leve tudo ao fogo baixo e deixe apurando até engrossar, sirva com sorvete de creme.

Lentilha com linguiça defumada

Esse foi o jantar de ontem, nada demorado e bem simples. Essa lentilha ficou danada de saborosa e como acompanhamento só pedia mesmo um arrozinho branco feito sem sal e sem óleo, fica perfeito pra acompanhar esse prato.

  • 1 xícara (chá) de lentilha
  • 1 cebola picadinha
  • 1 dente de alho grande picadinho
  • 2 pimentas dedo de moça picadas sem as sementes
  • 1/2 paio em rodelas
  • 1/2 linguiça calabresa em rodelas
  • 70 g de baco em cubos
  • 1 colher (sopa) de óleo
  • Água quente
  • Salsinha para polvilhar o prato

Aqueça o óleo e doure o bacon, junte a cebola o alho e deixe dourar bem, acrescente as linguiças e refogue bem. Nesta hora junte a lentilha (que eu deixo de molho por uma meia hora em água filtrada) coloque a pimenta e comece a acrescentar a água quente aos poucos até que a lentilha esteja cozida e com o caldo bem grosso. Transfira para a travessa e polvilhe com salsinha.
* Notaram que não usei o sal?!?! Eu acho que o tempero do bacon e da linguiça já são suficientes.

Torta de abóbora

Desvendando o mistério! Essa torta é uma delícia mas eu classificaria como um bolo salgado de abóbora a receita eu tirei de uma revista que recebo mensalmente uma revista muito simples mas cheia de boas idéias pra comidinha do dia a dia, o nome é RECEITA MINUTO. A única coisa que usei a mais e não estava na receita foi uma pimenta dedo de moça picadinha sem as sementes e um pouco de salsinha. Não se assuste se a torta abaixar um pouco depois de retirada do forno é normal, eu tinha reparado isso pela foto da revista e a minha também abaixou um pouco. Essa receita aceita congelamento.
* Imagina quanto recheio podemos usar com essa massa?!?! Carne seca com catupiry, camarão e por ai vai….

  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 3 ovos
  • 2 envelopes de caldo de carne em pó
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • 500 g de abóbora cozida (eu cozinhei no vapor)
  • 200 g de mussarela em fatias
  • 1 pimenta dedo de moça
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picadinha

Bata no liquidificador o leite, o óleo, os ovos e o caldo de carne. Acrescente aos poucos, a farinha de trigo e por ultimo, o fermento. Bata até que fique homogêneo. Transfira a mistura para um recipiente e junte a abóbora amassada com um garfo, pimenta picadinha e a salsinha. Coloque metade da massa em uma assadeira untada e enfarinhada. Disponha as fatias de mussarela e cubra com o restante da massa. Leve ao forno preaquecido por aproximadamente 35 min.

* Se você cozinhar a abóbora na água deixe escorrer bem numa peneira antes de amassar.