Vinagre ou “Pepinete” do Silvio

Bom a Meire pediu no post do picadinho a receita do vinagrete e da farofa e menina a farofa vem já viu, se segura aí?! Mas o vinagrete já esta na mesa e quem fez foi nosso amigo Silvio ele vem se soltando e mostrando suas artes na cozinha e quem sabe ele não inaugura a um coluna nova aqui no bloguito em “Silvinho”? rs Bom o fato que esse moço bonito, bem sucedido – e moças solteiras de plantão se segure que ele é também muito bem casado – de maneira que ainda não vai ser dessa vez que vou bancar o cupido por aqui. Bom foco na receita que essa cozinha é um lugar de respeito um ambiente familiar (rs), esse rapaz passou horas fazendo o vinagrete que por conter pepino ele ficou depois de tomar a loira gelada chamando de “pepinete” seria assim um primo bastardo do vinagrete mas delícioso viu meninas(os). Ele retirou toda a sementes, picou em cubinhos, picou cebola em cubos pequenos e por último pepino japonês também cortado em cubos junte todos os ingredientes, some sal e pimenta moídos na hora, azeite honesto e vinagre de limão se gostar pode colocar cheiro verde picadinho – depois de tudo bem agregadinho é só provar o tempero e servir. Pode acompanhar o seu picadinho, o churrasco, um lanche de carne assada, a sua feijoada, uma linguiça assada e onde mais sua imaginação alcançar.

Olha o dono da arte trabalhando.

Uma foto e um picadinho

Minha amiga Dani foi almoçar no Nacozinha um restaurante que fica na região dos Jardins, para ser mais exata na Haddock Lobo e lá também eles tem uma escola de culinária básica e avançada parece ser bem legal – meu povo estou falando PARECE sim porque depois alguém vai lá faz o curso não curte e volta aqui para me malhar então leia bem o texto em crianças. Enfim ela foi, comeu no tal lugar e achou a comida uma delícia e na saída ela pegou um folder pra mim e ao ver a foto do picadinho que foi eleito pela revista Época o melhor de São Paulo eu resolvi fazer minha versão que ficou boooooa por demais.

  • 400g de bife ancho
  • 1 cebola grande
  • 3 colheres (sopa) molho shoyo
  • 2 dentes de alho bem picadinhos
  • Sal e Pimenta moídos na hora
  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
  • 1 colher (sobremesa) de farinha de trigo
  • 1/2 xícara (chá) de água

Corte a carne na ponta da faca para que fique bem picadinha e tempere com a pimenta e o alho reserve. Aqueça uma frigideira de fundo pesado, regue o óleo sobre a mesma e grelhe a carne até que fique selada e o fundo fique com uma leve crostinha com tom de dourado, retire a carne e reserve – nesta mesma frigideira some a cebola que deve estar bem picadinha e deixe branquear e depois tomar cor de caramelo nesse momento junte o vinho branco e deixe ferver e toda a crosta do fundo se soltar e agregar sabor ao molho – na carne reservada tempere com sal, molho shoyo e devolva a panela – acerte o tempero some a farinha de trigo que deve ter sido dissolvida em meia xícara (chá) de água – assim que molho ficar encorpado pode retirar do fogo e servir. Lá eles servem com arroz branco, vinagrete, farofa, feijão preto e pastelzinho de queijo. Foi exatamente assim que eu servi e foi lindo pessoal.

 

 

Um bolo para comemorar….

O batismo do filho de uma amiga muito querida, e assim passar um dia tão importante em comunhão. A minha escolha foi um bolinho de massa de baunilha com recheio de creme e pêssegos bem picadinhos e por último uma camada fina de creme creme chantily, tudo isso embrulhado em um lindo laço azul. O bolo quando tem uma combinação perfeita entre sabor, textura e teor de açúcar faz a gente repetir e jamais esquecê-lo – esse é o bolo perfeito pra mim.

Meu povo eu dei uma sumida, pois estava as voltas com um evento que já aconteceu e tudo saiu muito bem, graças a meu bom Deus.

Bolo Branco
Para ser recheado

Ingredientes

• 5 claras
• 5 gemas
• 1 1/2 xícara -chá de açúcar
• 1 xícara -chá de leite morno
• 2 xícaras -chá de farinha de trigo
• 1 colher -sopa de fermento em pó
• 1 colher  – sopa cheia bem cheia de essência de baunilha.

Preparação

1. Bata as claras em neve até o ponto de picos firmes. Adicione as gemas uma por vez.

2. Acrescente o açúcar aos poucos e bata até virar um creme. Misture o fermento e a farinha. Adicione essa mistura ao creme e mexa devagar. Adicionando o leite aos poucos.

3. Aqueça o forno em temperatura alta (250ºC), por 4 minutos. Unte uma forma e polvilhe com farinha de trigo. Retire o excesso. Coloque a massa e ponha para assar em fogo alto por 10 minutos. Depois abaixe o fogo para média (200ºC) e deixe por mais 20 minutos. Enfie um palito na massa, se ele sair seco, o bolo está pronto

4. Apague o forno e Retire o bolo e deixe esfriar,  para só depois desenformar e decorar.

Para o creme

  • 3 colheres (sopa cheias pra valer) Maizena
  • 2 gemas
  • 1 lata de Leite Moça
  • a mesma medida de leite – 250 ml só
  • 2 caixinhas de creme de leite de 200 g tipo UHT (acrescidas só na batedeira)
  • 1 colher(sopa cheia) essência de baunilha (acrescidas só na batedeira) – em torta comum eu coloco essencia de baunilha dobrada, para não encarecer, porque Vanilla acaba muito rápido aqui e essencia de Baunilha eu praticamente bebo.
  • no bolo de aniversario eu coloco + 1 colher de chá cheia de açúcar de vanilla

Creme Cozido – Coloque a Maizena e as 2 gemas no fundo da caçarola. Despeje a lata de leite condensado, lave internamente a lata de leite e mais nada. Cozinhe só este pouquinho (vai dar 500 ml de líquido) até engrossar. Despeje o creme quente na batedeira. Acrescente o creme de leite e bata até amornar. Só morno para frio que você acrescenta aessência de baunilha artificial (2 colheradas boas). A essência vai parecer muito. Continue batendo até o creme esfriar totalmente.

Para montar – Divida o bolo em três partes e coloque uma parte no fundo do aro e regue com uma calda ( eu uso uma calda de açúcar , água e uma casquinha de laranja, deixo ferver só até pegar o sabor e utilizo), por cima uma camada de creme, espalhe um tanto do pêssego picadinho e coloque o outro disco de massa , repita o preparo e feche com o último disco. Eu gosto de deixar o bolo gelar durante a noite e confeitá-lo só no dia seguinte. Para confeitar eu apenas utilizei creme de chantily profissional batido em ponto firme (se você não vai precisar transportar esse bolo pode utilizar creme de leite fresco batido  em ponto de chantily), cubra o bolo com esse creme, alise utilizando uma espátula aquecida em água quente e deixe o mesmo bem lisinho. Grude as bolachas na lateral do bolo, enfeite com o pêssego e eu usei uma cerejinha também e feche com um laço de fita.

Fonte do creme – Blog Delícias da Pricila

Brigadeiro de potinho

Não vou falar mais da Akemi aqui – falar dessa pessoa fofa no último grau é chover no molhado – mas uma coisa tenho que dizer a receita do brigadeiro de potinho é PERFEITA e amiguinha vamos combinar?! Presentear com algo feito por nós é pra mim, carinho puro. Então  que tal começar a produzir alguns mimos e presentear pessoas queridas?

Chocolate meio amargo 70%

1 lata de leite condensado
2 colheres (sopa) de manteiga
100g de chocolate meio amargo 70% de qualidade
4 colheres (sopa) de licor cointreau
2/3 caixa de creme de leite

Numa panela, coloque o leite condensado, manteiga e o chocolate picado. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre até soltar do fundo da panela. Desligue o fogo e junte o creme de leite. Misture bem e acrescente o licor. Despeje o brigadeiro num saco de confeitar. Espere amornar e distribua nos potinhos. Espere esfriar completamente (sem tampar) e salpique chocolate meio amargo ralado ou picadinho por cima.

Fonte – Pecado da Gula

Um bolinho para aquecer minha casa

Bolo de iogurte, bolo mata fome, bolo para comer com geléia, para comer com requeijão, para comer com um naco de manteiga honesta- enfim bolinho para aquecer a alma em dias frios.

  • 1 copo de iogurte natural
  • 1 copo de óleo
  • 2 copos de açúcar
  • 2 copos de farinha de trigo
  • 4 ovos
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • óleo e farinha para polvilhar a assadeira

Unte com óleo e enfarinhe uma fôrma de bolo. Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento. Despeje a massa numa travessa grande e some o fermento e agregue com delicadeza. Coloque então a massa na assadeira e leve ao forno preaquecido em temperatura média por aproximadamente 40 mts – faça o teste do palito. Desenforme e sirva com os acompanhamentos que sugeri acima.

 

Brigadeiro tradicional com um pitaco meu…

Esse foi mais um brigadeiro que saiu do delícioso livro Brigadeiros do André Boccato – bom eu nem preciso dizer o quanto ando me divertindo na cozinha com esse doce livrinho né não?! E minha casa anda perfumada com cheirinho de chocolate e os filhotes e amigos agradecem, pois viram cobaias da transtornada cozinheira na sua saga de fazer todas as receitas do tal livro. E dessa vez fiz a receita do brigadeiro tradional com um pitaco meu, que foi o uma pequena chuva de canela em pó no final do processo e ficou DIVINO. E olha as mãozinhas nervosas, atacando a minha indefesa panelinha de brigadeiros.

  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres (sopa) de cacau em pó
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de mel
  • Uma chuvinha de canela uma pitada não muito generosa
  • Granulado para confeitar

Em uma panela, misture o leite condensado, o cacau, a manteiga e o mel. Leve ao fogo médio, mexendo sempre, até soltar do fundo da panela e adquirir consistência cremosa. Retire do fogo e acrescente a canela mexa bem e depois despeje o brigadeiro em um recipiente untado com manteiga. Deixe esfriar por completo. Com o auxilio de uma colher de chá, retire porções do doce e enrole em formato de bolinhas, com as mãos untadas de manteiga. Passe os brigadeiros no granulado e disponha-os dentro das forminhas.

 

Fonte – Cook Lovers