Um Ritual Goiâno ….

repetido toda época do milho – e meu primo que é goiâno autêntico , tratou logo de plantar milho na sua chácara e eu que não sou boba nem nada fui pegar carona no ritual e inserir meus filhotes que são goiânos apenas de alma (pois os dois são Paulistanos) nesse ato que pra mim é até cultural. E foi assim que passamos um dia inteiro em família – conversando (entenda-se fofocando) , comendo muito milho (cozido, angú, bolo, bolo de pamonha e por aí vai) e tomando o elixir da beleza a dananada da Coca-Cola gelada.

Depois de separar o milho, retirar os cabelinhos e selecionar as palhas é hora de ralar o milho e agora senta que lá vem história…

A muitos anos atrás o milho era ralado em raladores artesanais, feitos a partir de latas grandes que eram cortadas e perfuradas com a ajuda de um prego, depois do ralo pronto (todo furadinho) era preso na madeira e depois disso entra um adulto na história e ele ia ralando o milho fresquinho, e a criançada da família formava um grande corredor para raspar a sobra de massa que ficava no sabugo – mas hoje goiânia já conta com um ralador elétrico é a modernidade falando mais alto na vida do povo (rs).

A hora de embalar é uma festa só : uma vai arrumando os copinhos de palha e enchendo e outra vai amarrando, e enquanto isso rola comida e bebida e muita animação.

E não é que os pequenos primos dão as mãos e ficam de olho no tacho a espera de uma pamonha fumegante , bem molhinha e com queijo derretendo sair de lá.

Mais a mulherada não deixa a peteca cair e trabalha sem parar.

O fogareiro feito no chão já deixa o tacho quente e a água a borbulhar a espera dos saquinhos do mais puro creme do milho verde.

E depois de tanta espera já podemos comer uma pamonha molinha como deve ser com esse queijo derretendo ou…

Uma pamonha salgada um clássico em Goiás feita com recheio de queijo, jiló e linguiça caipira – eu acho que isso é a noção que tenho do céu.

Henrique e Maria (primos) super obrigada por ter me proporcionado voltar no tempo e lembrar da minha infância o que é melhor proporcionar a mesma experiência a meus filhotes.


Anúncios

5 comentários sobre “Um Ritual Goiâno ….

  1. Lica do céu, quanta coisa boa! Muito obrigada por nos mostrar um pouco da cultura de sua terra natal com tantas delícias! Desconfio que sairia rolando de uma reunião dessas! rsss
    Essas pamonhas cremosas ficaram perfeitas! Nem se comparam com aquela massa dura vendida nesses ranchos da pamonha que tem nas beiras de estrada por aí! Isso sim é o puro creme do milho! rsss
    Bjss e um bom dia!

  2. lunalestrie disse:

    Ave, que eu fiquei com água na boca aqui, adoro pamonha, principalmente bem feita, como estas! Pamonha lembra minha avó materna, eu na casa dela e ela fazendo no fogão de lenha! Adoro! Beijos!

  3. Thays disse:

    Oi Lica!!! Achei a pouco tempo o seu blog e entro toda semana pra conferir as novidades!!!
    Também sou goiana e sei bem como é gostoso esse ritual goiano!
    Bjos,

    Thays.

  4. Letícia disse:

    Ai, Lica, tenho um grande amigo de Hidrolândia que comemora seus aniversários com pamonhadas em que todos os convidados ajudam. É muito gostoso! Seu post me deu uma saudade dele e das pamonhadas… Beijo, querida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s