Arroz de puta rica com fitas de mandioca crocante

arroz

Esses dias me inspirei e executei uma releitura do famoso arroz de puta rica de Janaína Rueda com algumas influências que tive no último encontro com Ana Luiza Trajano e suas pesquisas – esse arroz se parece muito com um Maria Izabel ou um arroz de forno eu diria que ele se encontra entre os dois, eu utilizei o coentro pois em seu Maria Isabel  Ana L. Trajano o utilizou e achei sensacional o uso dessa folhinha, ela levantou o arroz o deixando assim inesquecível, hoje ao fechar os olhos e mergulhar nas lembranças de sua palestra ainda consigo sentir o sabor e visualizar a cor linda daquele arroz, por essa cor e em busca deste tom eu utilizei colorau que no final levou meu arroz ao tom desejado, e ficou realmente muito bom, o servi com fitas crocantes de mandioca orgânica que foi outra influência que tive vinda de Ana.

Para fazer meu arroz, peguei 300 g de linguiça fresca e escaldei em água quente, depois desse processo eu cortei em cubos bem pequenos, e aqueci uma panela de fundo pesado – reguei com fio de óleo de cozinha e refoguei essa linguiça picadinha até que fica-se bem douradinha, somei uma cebola picadinha e meia colher de sobremesa de coloral, somei dois tomates sem pele em cubos e deixei formar um molho (adicione um pouco de água quente se seu tomate não estiver muito maduro) assim que formar um molhinho some o arroz (que já foi previamente cozido) e mexa para que tudo se misture e pegue o sabores, some coentro picadinho e sirva em seguida.

Obs – Se sobrou uma liguiça assada do seu jantar ou churrasco , pique em cubos pequenos e faça esse arroz que fica delícia, e o mesmo vale para sobras de carne de churrasco.

 

Para as fitas de mandioca – Eu comprei mandioca orgânica e passei no mandoline  bem fininho e fritei em óleo de cozinha quente, depois de dourado eu deixei escorrer em papel e temperei com sal e pimenta moídos na hora.

 

 

Canjica e minhas considerações

canjica

Época de festas juninas de São João e muitas coisinhas caipiras, pinta aqui na cozinha do Feijão No Prato a tradicional canjica e eu não quero aqui colocar minha colher de pau na receita do vizinho e nem mexer em tradições e por isso vou falar da maneira que gosto de fazer e servir canjica, e esse jeito simples e encantador é maneira com a qual eu sirvo minha família, meus amigos e agregados. Simples assim, lavo a canjica e deixo de molho por duas horas, coloco na água com um pau de canela e levo para cozinhar na pressão até que o grão esteja macio e reservo – em outra panela para 400g de canjica eu coloco 500ml de leite integral, 1 garrafinha de leite de coco e 1/2 lata de leite condensado junto a canjica (que escorri toda água do cozimento) e deixo que a mesma pegue o sabor e esse liquido forme um creme. Eu sirvo assim branquinha e coloco os acompanhamentos na mesa, coco ralado, paçoca, canela e cada um faz sua mistura da maneira que mais te agradar.