Arroz de puta rica com fitas de mandioca crocante

arroz

Esses dias me inspirei e executei uma releitura do famoso arroz de puta rica de Janaína Rueda com algumas influências que tive no último encontro com Ana Luiza Trajano e suas pesquisas – esse arroz se parece muito com um Maria Izabel ou um arroz de forno eu diria que ele se encontra entre os dois, eu utilizei o coentro pois em seu Maria Isabel  Ana L. Trajano o utilizou e achei sensacional o uso dessa folhinha, ela levantou o arroz o deixando assim inesquecível, hoje ao fechar os olhos e mergulhar nas lembranças de sua palestra ainda consigo sentir o sabor e visualizar a cor linda daquele arroz, por essa cor e em busca deste tom eu utilizei colorau que no final levou meu arroz ao tom desejado, e ficou realmente muito bom, o servi com fitas crocantes de mandioca orgânica que foi outra influência que tive vinda de Ana.

Para fazer meu arroz, peguei 300 g de linguiça fresca e escaldei em água quente, depois desse processo eu cortei em cubos bem pequenos, e aqueci uma panela de fundo pesado – reguei com fio de óleo de cozinha e refoguei essa linguiça picadinha até que fica-se bem douradinha, somei uma cebola picadinha e meia colher de sobremesa de coloral, somei dois tomates sem pele em cubos e deixei formar um molho (adicione um pouco de água quente se seu tomate não estiver muito maduro) assim que formar um molhinho some o arroz (que já foi previamente cozido) e mexa para que tudo se misture e pegue o sabores, some coentro picadinho e sirva em seguida.

Obs – Se sobrou uma liguiça assada do seu jantar ou churrasco , pique em cubos pequenos e faça esse arroz que fica delícia, e o mesmo vale para sobras de carne de churrasco.

 

Para as fitas de mandioca – Eu comprei mandioca orgânica e passei no mandoline  bem fininho e fritei em óleo de cozinha quente, depois de dourado eu deixei escorrer em papel e temperei com sal e pimenta moídos na hora.

 

 

Anúncios

O casamento da mandioca com coco

bolo cópia

No mundo da comida os alimentos também formam pares perfeitos e não duvide disso em?! Veja o caso da goiabada com queijo – do manjericão com tomate – mandioca com carne seca e esses casos de amor vão longe. Mas hoje quero falar da mandioca com coco ou seria aipim ou macaxeira? Não importa o nome que tenha ela continua tento seu caso de amor eterno com coco e isso me basta – se quer comer um bolinho *mara na hora do seu café da tarde então invista um pouco do seu tempo e faça essa receita.

2 colheres de margarina

1 xícara de açúcar

3 ovos

800 g de mandioca

100 g de coco ralado

1 lata de leite condensado

50 g de queijo curado

  • Coloque os ingredientes na ordem, rale a mandioca e esprema a água até que fique seca
  • Esfarele, misture bem e coloque em forma untada
  • Cubra a massa com o leite condensado, leve ao forno por 40 minutos

Viva a mandioca!!!!

quibebe

Quibebe de mandioca, um prato muito comum em Goiás que em outras regiões é feito com abóbora e carne seca, lá é feito com mandioca e linguiça ou até mesmo com a famosa carne de sol ou serenada. Uma comidinha caipira que alegra a barriguinha e faz um carinho na alma, nos deixando com uma sensação de conforto sem fim depois de comê-la.

Para executar a receita – aqueça uma panela de fundo pesado e deixe murchar uma cebola com um pouco de alho e sal sofrido no pilão, assim que a cebola ficar transparente junte as rodelinhas de linguiças e deixe que a mesma dê uma boa refogada, então pode colocar a mandioca (devidamente descascada e cortada em cubos médios), coloque água quente e deixe começar a cozinhar, ela deve fica macia e começar a desmanchar, fazendo com que o caldo fique quase numa textura de creme mas com alguns bons pedaços de mandioca ainda, nesse momento prove o tempero e ajuste se necessário e coloque um toquinho de pimenta, sirva quentinho com torradinhas.

Mané Pelado e Requeijão

mané

Morri três vezes com esse bolo, só pra constar tenho uma relação de amor profundo com mané pelado, isso sem falar no fato de que meu amado pai era apaixonado por esse bolo – e aí uma doida como eu vê a possibilidade de colocar nada mais nada menos que queijo cremoso no centro do bolinho e o que para muitos era apenas um bolinho se transforma agora em um bolo de respeito – veja bem na minha cabeça o simples mané sempre foi um bolo de respeito mas acredito que tem muitos Goianos que não dão o devido valor a iguaria. Bom discussões a parte, o fato é que o bolo é imperdível é maravilhoso, e pronto.

  • 500 g de mandioca ralada (rale naquele lado do ralinho para queijo)
  • 300 g de queijo minas curado ralado (no ralo grosso)
  • 300 g de açúcar
  • 4 ovos
  • 200 ml de leite de coco
  • 1/2 xícara (chá) de leite
  • 100 g de manteiga em temperatura ambiente
  • manteiga para untar
  • açúcar refinado para polvilhar

Numa tigela grande junte a mandioca, queijo, açúcar, ovos, leite de coco, leite, manteiga e misture tudo muito bem. Unte e polvilhe com açúcar a forma em formato de anel e deite metade da massa sobre a mesma, coloque 400g de requeijão cremoso e cubra com restante da massa, leve ao forno preaquecido a 180 graus por +/- 1 hora ou até que esteja dourado.