Farofa de biscoito de polvilho

farofa de biscoito

Essa foi apenas mais uma das receitas ou dicas que me encheu de encanto no evento Semana Mesa SP, a farofa de biscoito globo ou o também conhecido biscoito de polvilho, pensa em algo simples? Sim pessoal é simples e encantador por demais, foi assim arrasadora a maneira com a qual a chef Ana Luiza Trajano serviu a linguiça artesanal de maior *responsa que já vi na vida.

E se você quer reproduzir no conforto do seu lar essa delícia, vou deixar aqui a dica. Aqueça uma panela de fundo pesado e coloque uma boa colherada de manteiga com sal, dê uma boa regada de azeite honesto e acrescente um pacote de biscoito globo (também conhecido como biscoito de polvilho) totalmente esmagado para ficar em textura de farinha ou melhor mas se parece com panko. Deixe o mesmo dourar um pouquinho e vai obter uma farofa crocante e deliciosa. Se quiser pode temperar com uma pimentinha e cheiro verde bem picadinho.

*Mais tarde eu volto, então fique ligado e me siga nas redes sociais para não perder nada dessa cozinha. 🙂

Anúncios

Jefferson Rueda e a Galinha a Cabidela

rueda

Com tema “Com Quantas Penas se Salva um Prato Nacional” , nem preciso dizer que questões sanitárias foram amplamente abordadas em sua palestra. Ele que vem do interior e está acostumado a comer a galinha ao molho pardo, discutiu e defendeu seu ponto de vista quanto ao uso do sangue animal, defendendo com propriedade sua ideia de que por uma questão ética o bicho deve ser aproveitado por inteiro, por respeito a gente e ao próprio animal – e foi assim, enquanto defendia e expunha seu ponto vista, despenou, sapecou e limpou as viceras  de uma galinha caipira, tendo o cuidado de colher o sangue para fazer seu tão querido frango ao molho pardo. Depois de pronto serviu a mesa, onde seus filhotes já esperavam ansiosos para devorar o almoço e foi assim com jeito e cheiro do interior, da vida que passa lenta e calmamente que ele deu o seu recado, foi demais!

almoço rueda

Uma história de amor – Roberta Sudbrack e Fátima Anselmo

sudbrack

Não poderia deixar de começar por ela, ela que é sem dúvida minha chef predileta e leva na sua marca o slogan da ousadia (pelo menos meu conceito) mostrou com todo louvor o porque devemos ter essa conexão e sabendo da importância do tema ela aproveitou e deixou sua produtora de brotos e minis verduras, sua parceira e porque não dizer um de seus braços, contar uma linda história de vida, de amor e de total respeito. Eu que assistia a tudo atenta não consegui me conter e chorei por uma ou duas vezes durante a palestra. Sempre soube do carisma, generosidade e respeito de Roberta mas quando vemos ao vivo essa conexão fica difícil conter a emoção. E foi assim com Fátima dizendo não ter simples plantas em seu terreno e sim pequenas e valiosas pérolas que num futuro próximo ela ira entregá-las a grande artista que é a chef – que essa dupla se tornou a primeira do dia a ser aplaudida de pé, entre abraços e lágrimas Roberta se manteve ali no propósito de deixar sua aliada e parceira contando essa história e foi cozinhando e ouvindo a prosa – e ao final podemos ver uma de suas criações a salada de pupunha cru com brotos (inclusive de chuchu), e flores deixando a todos de boca aberta com tamanha simplicidade e beleza – o robalo não ficou atrás.

robalo sudbrack