Kebab ou nem tanto assim

kebab

 

Bom quando falamos em kebab já imaginamos um belo sanduíche e bem ao contrário do que se pensa, o kebab não é sinônimo de sanduíche e sim na verdade, seu recheio –  pode vir dentro do pão, sobre o pão, sozinho, com legumes, couscous, arroz com aletria, pastas… “O kebab se popularizou na Europa, onde ficou conhecido como sanduíche. Foi levado para a Alemanha pelos imigrantes turcos depois da Segunda Guerra”, diz Rodrigo Libbos, chef do Kebab Salonu, de São Paulo. Ele explica que os brasileiros normalmente visitam a Europa, e não o Oriente Médio. Por isso cometem o mesmo erro dos europeus ao nomear o prato. “A diferença da Europa para a Turquia é que lá pegou o kebab enrolado, que é o sanduíche. No Oriente Médio, monta-se a carne em cima do pão, ou no prato, com outros acompanhamentos”. A minha versão nem é a do tal churrasco cortado em tiras fininhas e sim com Kafta o que eu acho uma delícia, coloco sobre o pão folha uma bela camada de homus tahine a salada que no meu caso foi de alface em tiras e tomates em cubos, dou uma leve temperada com azeite honesto e limão, coloco a kafta no centro e enrolo formando um sanduíche, na mesa deixo a disposição um molho de tahine que fica perfeito para acompanhar. A receita da kafta e do homus você encontra aqui no blog, basta colocar na busca ao lado e vai encontrar. Para manter o sanduíche fechadinho eu enrolo com papel alumínio.

 

Obs – Pessoal se querem saber um pouco mais do meu dia a dia, e ver um pouco das minhas viagens, passeios e eventos que frequento, basta me seguir no instagram – espero vocês por lá e se gostam do conteúdo do Feijão no Prato, compartilhe e curtam para manter a pagina no ar, muito obrigada.

Palmito assado com ervas e manteiga ghee

palmito

Por vezes preciso fazer comidinhas que não necessitem da minha presença o tempo todo ao lado do fogão – pois tem dias da semana que tenho tarefas de escola para executar com o Enzo e isso toma bastante tempo pela manhã e é exatamente nessa hora que faço do forno o meu melhor amigo e na minha visão de cozinheira ele é realmente um grande aliado. Coloquei o palmito sobre uma folha grande de alumínio e reguei com manteiga ghee (manteiga clarificada) um fio de azeite, ervas finas desidratadas, pimenta moída na hora, grãos de aroeira uma leve chuva de sal maldon e antes de fechar meu maravilhoso envelope eu somei alguns dentes de alho inteiros. Fechei o pacote e levei em forno baixo até que o palmito esteja macio. Enquanto fazia a tarefa com o Enzo sentia o perfume do assado invadido a casa e por vezes me fazendo perder a concentração, sirva com um grelhado.

*obs – no meu instagram tem uma foto da manteiga ghee (clarificada) que utilizo e do local onde você pode adquirir caso não encontre perto de você, esse lugar entrega no conforto do seu lar. Me siga por lá e saiba da minha rotina e produtos que testo e muitas outras coisinhas.