Arancini ou Bolinho de Risoto

arancini

Sou do contra por isso posto primeiro o que fiz com a sobra de um delicioso risoto e depois posto o mesmo de fato. Bom no meu mundo arancini é o bolinho de arroz do Italiano e ponto, veja bem minha gente eu disse *no meu mundo – antes que chova um monte de email me falando que sou doida que não concorda e tals. Sei que sendo arancini, bolinho de risoto ou bolinho de arroz o fato é que ele é mesmo maravilhoso e super fácil de fazer e combina perfeitamente com sua cerva gelada do final de semana.

Para o preparo – pegue sua sobra e risoto e com as mãos mesmo misture bem até dar uma liga – forme as bolinhas e recheie com queijo (pode ser mussarela, mussarela de bolinho, queijo do reino e vai….), passe as bolinhas pela farinha de trigo, no leite e por fim na farinha de rosca. Frite em imersão em óleo de cozinha quente.

Tapioca e as facilidades da vida moderna

tapioca no tostex

Hoje eu diria que é ligeiramente fácil ser pratica na cozinha, sem muito lero lero você consegue fazer lanchinhos e até mesmo refeições inteiras sem sofrimento e esse é sem dúvida o caso desse pequeno sandubinha de tapioca e lance é simples assim *amiguinha; Naquele tostex que vai ao fogo do fogão mesmo, aquele que todos podem ou já tem em casa, você coloca uma boa camada de massa para tapioca (você encontra essa massinha pronta em todos os mercados, geralmente fica no balcão de saladas dos hipermercados) e aí coloque o recheio da sua preferência tipo – queijo com presunto e pedacinhos de tomate sem sementes (sem *gramurr algum mas amado pelas crianças), frango desfiado com queijo coalho ou ou queijo cremoso, queijo coalho com carne seca desfiada, queijo coalho com mel e manteiga e aí vai a sua imaginação é o limite. Coloque sob a chama do fogão em fogo baixinho é só esperar, vire e asse do outro lado, e em pouquíssimo tempo terá um delicioso tostex de tapioca. Ai ando morrendo de amores pelo mundo moderno e suas facilidades.

Uma sobra e um bolo

Mas uma vez  a história do “restô” – e até fico curiosa pra saber se no seu lar doce lar amiguinha, tem esse monte de restinho o tempo todo (rs). Sei que depois de um bolinho para comemorar o Batismo na igreja do um filho de uma amiga –  Juntamos as panelas e as forças para fazer um gostoso almoço e comemorar um dia tão importante. E depois do bolo fiquei com as benditas sobras de frutinhas (o bolo vem num próximo post colegas, se segurem aí), e assim nasceu mais um bolo invertido.

Para o bolinho

  • 200 ml de iogurte natural
  • 4 ovos
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 100 ml de óleo (canola ou girassol)
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó

Coloque dentro do liquidificador primeiro os ingredientes liquidos e em seguida os secos (reservando o fermento). Bata bem até a massa ficar bem lisinha. Transfira para uma travessa e junte o fermento mexendo bem suavemente, reserve. Prepare a assadeira da seguinde forma: pique as frutas que vai utilizar , no meu caso foram pêssegos em calda e abacaxi, forrei o fundo da assadeira com os pedaçinhos de frutas e coloquei um pouquinho da calda do pêssego e com cuidado eu fui colocando por cima colheradas da massa de bolo e levei o mesmo ao forno preaquecido em temperatura média e deixe até dourar ou faça o teste do palito. Quando o bolo estiver frio, vire o mesmo no prato de servir.