Falafel

falafel

Esse bolinho de grão de bico de Israel é uma das minhas paixões – sempre que vou a 25 de março aqui em Sampa eu chego lá no Raful para degustar essa e outras delícias servidas com muita propriedade por lá, mas como nem sempre posso ir até lá e em contra partida sempre me bate uma vontade de comer essa delicia eu me vi obrigada a aprender a fazer (isso sem falar no fato de ter um irmão vegetariano que também adora esse sanduba aí). Reza a lenda que ir até Israel e não comer falafel é como ir a Itália e não comer macarronada – eles são super tradicionais por lá e são vendidos em bancas e restaurantes espalhados por todos os lados, faz parte da dieta diária daquele povo. Enfim se você curte esse tipo de comida devo dizer que esse sanduíche é demais.

Para a receita do bolinho;

1/2 kg de grão de bico
70 g de salsinha ou coentro
6 dentes de alho esmagados
Uma pitada de sal
Uma pitada de pimenta preta
1/2 colher de chá de cominho
Duas cebolas médias
1 colher de bicarbonato de sódio
Óleo para fritar

Modo de preparo

Deixe os grãos de bico de molho em água fria com bicarbonato de sódio durante a noite. Coloque o grão de bico, coentro, alho e a cebola em um moedor de carne. Adicione os ingredientes restantes e misture em um recipiente. Aqueça o óleo a alta temperatura e abaixe o fogo ligeiramente. Use uma colher para fazer bolinhos de falafel (do tamanho de almôndegas) e fritá-los no óleo até dourar. Escorra o óleo dos bolinhos. Para montar o sanduíche você Coloque humus, tomate e cebola picados no pão sírio antes dos bolinhos, e depois acrescente verduras e legumes, como cenoura ralada,  repolho e o que mais gostar. Para finalizar, coloque tahine por cima e pronto!

*Se não tem receita de humus é só colocar na busca aí do blog pois temos essa receita aqui.

 

Fondue de Queijo

fondue

Como muitos eu também duvido que algum dia essa receita venha a ser aplaudida pela Organização Mundial da Saúde, mas tenho que dizer que ela faz parte das minhas gordices à faz (rs) – tem como deixá-la mais saudável? Acredito que sim, a partir do momento que você aposta em acompanhamentos mais leves como palitinhos de cenoura , endívias, radicchio ou até mesmo rabanetes, mas tenho que confessar que esse não foi meu caso, pois eu enfiei o pé na jaca e servi com pedaços de pão italiano e batatas bolinhas cozidas, isso tudo somado a bom vinho é o final de uma noite perfeita.

Para a Fondue

600g de queijo picadinho ou ralado (use uma mistura de gruyère, emmental, brie e camembert) – 300ml de vinho branco – 2 colheres (chá) de maisena – 3 colheres (sopa) de *kirsch – 1 dente de alho descascado – pimenta-do-reino moída na hora – noz-moscada moída na hora.

Ponha o queijo na panela de fondue com o vinho e aqueça até borbulhar; a essa altura, o queijo já deve ter derretido. Abaixe o fogo. Numa tigela pequena, misture a maisena e o kirsch. Ponha na panela de fondue, com o alho. Tempere com pimenta-do-reino e noz-moscada, mexa bem e leve a panela à mesa, num suporte sobre o fogo. Eu como disse acima servi com cubos de pão italiano e batatas bolinhas cozidas sem tempero.

*Kirsch – é aguardente de cereja.

*Fonte – Nigella Express

 

Encontro Gourmet e suas Histórias

biscoito de arroz

Sábado foi o dia do Encontro Gourmet e antes de tudo quero dar os parabéns as organizadoras do evento, pois estava tudo verdadeiramente lindo e perfeito. E senta que lá vem história minha gente, conheci pessoas que já conhecia virtualmente e que de alguma maneira sabia muito de mim e da minha família e foi uma lindeza só, revi amigas que já conhecia pessoalmente enfim, é muito amor *gentemm. Bom vi que muitas meninas postaram fotos com todos seus brindes mas eu resolvi fazer diferente, e vou mostrando tudo pra vocês aqui com tempo e assim podem ver como consumi cada delícia que ganhei por lá. Então pra começar o relish de pepino  companhia das ervas – pensa numa delícia?! Servido com mini biscoitinhos de arroz da Camil.

Azeite na sobremesa!

coco

Esse é meu bolo de infância foi também a paixão do meu pai – e por conta dele eu aprendi a fazer o que chamo de melhor mané pelado do mundo, essa receita que vou colocar aqui vai te render um bolinho de mandioca de comer de joelhos e se precisar de uma sobremesa surpreendente ele também vai se transformar nela. O mas engraçado é pensar que eu acredito que nem um goiano pensou que aquele bolo servido como quitanda em todas as casas, e vendido aos montes em todas as padarias da cidade poderia ter uma apresentação tão linda e saborosa, isso só me faz acreditar cada vez mais que a cozinhar é sempre estar fazendo mágica, transformando e acrescentando pode sair misturas surpreendentes.

Mané Pelado com Sorvete de Coco, Calda de Maracujá e Azeite Orgânico

Para o bolo:

  • 500 g de mandioca ralada (rale naquele lado do ralinho para queijo)
  • 300 g de queijo minas curado ralado (no ralo grosso)
  • 300 g de açúcar
  • 4 ovos
  • 200 ml de leite de coco
  • 1/2 xícara (chá) de leite
  • 100 g de manteiga em temperatura ambiente
  • manteiga para untar
  • açúcar refinado para polvilhar

Numa tigela grande junte a mandioca, queijo, açúcar, ovos, leite de coco, leite, manteiga e misture tudo muito bem. Unte e polvilhe a forma com açúcar e deite a massa sobre a mesma leve ao forno preaquecido a 180 graus por +/- 1 hora ou até que esteja dourado.

Para o Sorvete: 800ml de creme de leite, 200ml de leite de coco, Adoce com açúcar a seu gosto (se preferir pode adoçar com leite condensado) bata com mix ou liquidificador e leve a sorveteira.

Para servir: Um pedaço do bolinho, uma boa bola de sorvete por cima e uma colher de maracujá por sobre o sorvete – regue com um bom fio de azeite orgânico e sirva.

Para servir seis pessoas você vai precisar 2 maracujás que estejam com bastante poupa.

 

Levando as crianças para cozinha

Chef

É o e-book infantil “Mãos na Massa”, do chef Edson di Fonzo (La Marie).

Nele, o chef, filha e netos mostram o preparo de cinco receitas salgadas, sendo elas de diferentes níveis de dificuldade.
Desta forma, crianças de diversas idades podem começar a se aventurar na cozinha — sempre supervisionados por algum adulto, claro.
Com uma diagramação lúdica e organizada, todo o passo-a-passo é registrado pelas lentes do fotógrafo David Twardovski.
E basta um clique do dedinho para que cada imagem fique maior na tela e sirva de orientação para os pequenos cozinheiros.
Um jeito bacana de unir adultos, crianças e toda a família na cozinha, mas desta vez com um tablet na mão.

 

Hamburguer no pão australiano

pão autrasliano cópia 2

O fogão volta a funcionar – se bem da verdade ele nunca parou mas o mal estar provacado pelo começo da gestação me fez deixar um pouco de lado o bloguito. Com a receita de uma querida amiga a Sheila os meus lanchinhos tomaram uma carinha nova.

Aqui no blog tem várias receitas de hamburguer (coloque na busca e escolha o que mais te apetece) – eu apenas os moldei em tamanhos bem menores pois se trata de mini pão australiano. A combinação é de verdade perfeita, o picante da geléia o adoçicado do pão e frescor da saladinha foi responsável pela viagem ao céu ao provar o lanche.

Depois do hamburguer pronto com queijo derretidinho, coloque-o no pão com uma pequena colheradinha de geléia de pimenta por cima e para coroar uma saladinha de alface americana com tomatinhos picados em cubos e temperada apenas com azeitinho honesto, feche o pão e está pronto para atacar.