Molho de tomate honesto pá pum

molho

Sempre temos massa em casa e por muitas vezes vejo as pessoas apelando para o sachê de molho pronto e de gosto duvidoso – enfim, hoje venho aqui provar que podemos sim ter um molho honesto e feito de uma maneira bem simples (vejam bem meu povo, não é aqueleee molho da mama mas é infinitamente melhor que o sachê).

Para executar a receita – Eu peguei duas latas de tomates pelados, e usei apenas o pulsar do triturador de alimentos o truque é deixar bem pedaçudo, isso vai fazer seu molho ficar bem saboroso e diferente, reserve. Pegue uma panela pesada e regue com um bom fio de azeite honesto, coloque um tantinho de alho sofrido no pilão com sal, e uma cebola bem picadinha, assim que a cebola ficar transparente – junte os tomates processados e deixe o mesmo apurar ( você pode também colocar um buquê de ervas para saborizar), coloque um toquinho de açúcar e quando esse molho ficar bem apuradinho você confere o tempero e coloque tantinho de pimenta moída na hora e pronto, terá um um molho delicioso feito em pouquíssimo tempo e sem transtornos.

BerinGela ou BerinJela?

sanduiche

Sem entrar na polêmica do nome, eu sou a louca da berinjela, e essa caponata você encontra a receita aqui no blog – basta fazer a busca no campo ao lado, a única diferença é que nesta tem tomate seco no lugar da tradicional uva passa e fica tão bom quanto e de quebra ajuda aquele que não curte a tal uva passa na caponata. E para utilizar o tomate seco não tem segredo, apenas piquei miúdo e junte a caponata depois de pronta e fria. A dica é servir como aperitivo, como um molho de massa ou assim em forma de um belo sanduíche.

2 ingredientes, 1 mágica e 1 pizza – só no trucão

pizza

A foto ficou péssima mas o resultado é tão legal que resolvi compartilhar assim mesmo, e sim antes que vocês achem que eu pirei – é a mais pura verdade, utilizei dois ingredientes e tive uma massa de pizza muito boa.

A e descobri o trucão por um link que recebi no Facebook que tinha várias dicas para unir apenas dois ingredientes e ter um resultado final super legal.

Se você se encontra na correria como eu, com crianças de férias, e tendo que organizar tudo, inclusive as malas para uma breve viagem, então essa pizza vai cair como uma luva. Pode sovar a massa com as mãos, mas se quer ser mais eficiente deixe que sua batedeira faça isso por você e olha que ela faz super bem.

Para fazer a receita – Coloque 1 pote de 100g de iogurte grego ( eu utilizei o grego sem adição de açúcar da Nestlé), e vá colocando farinha com fermento até dar o ponto (algo em torno de 1 xícara de chá) e uma colher de café de sal. Sove essa massa por cinco minutos e depois deixe ela descansar por uma hora em um local abafado. Com o forno preaquecido a 200 graus, abra a massa sobre uma assadeira de pizza e não precisa estar untada, ao abrir a massa o mais fino que conseguir, faça uns furinhos com o garfo e leve ao forno por cinco minutos para assar levemente, retire passe o molho e cubra com o recheio de sua preferência no meu caso foi escarola refogada com bacon e queijo, e retorne ao forno até que o queijo esteja derretido e massa levemente dourada.

Maria Mole + Gelatina = Mariatina

maria tina

Uma correria total, arrumando as malas para pegar a estrada, mas não me abandonem, vamos viajar junto com o Feijão no Prato? Então fique ligado aqui na cozinha e em todas as outras redes sociais que vai pintar muita novidade. Mas voltando a mariatina, o calor nos rende sobremesas bem frescas e geladinhas – essa é uma delas.

Para fazer – A maria-mole você faz seguindo as instruções que já vem na embalagem, coloque no recipiente que já vai servir a sobremesa e deixe gelar e tomar consistência – para a gelatina você precisa de 2 caixinhas e vai utilizar 200mls de água fervendo para dissolver a gelatina e 200mls de água fria, deixe a mesma ficar em temperatura ambiente e só depois coloque sobre a maria-mole e leve novamente a geladeira para firmar. Sirva geladinha.

O calor a folha e o grão

salada

Com esse calor as comidinhas devem ser assim fresquinhas, simples, com temperos cítricos e leves – sem nenhuma licença poética essa salada fez meu mundo hoje ficar a cara da riqueza.

Uma caixinha de grão de bico, um punhado de trigo em grão cozido em água, uma beterraba que assei no forno e depois cortei em cubinhos, e a aí foi só fazer uma linda cama de alface lisa (era a que eu tinha hoje), e repousar em cima a mistura dos grãos, beterraba, cubinhos de palmito, azeitonas, milho verde, tudo devidamente temperado com cebola roxa, cubinho bem miúdos de pimentão, sal e pimenta moídos na hora e um fio de azeite honesto generoso e um toque de vinagre (pode ser balsâmico ou pode ser limão) e depois de tudo isso é só servir e se deliciar com o frescor.

Viva a mandioca!!!!

quibebe

Quibebe de mandioca, um prato muito comum em Goiás que em outras regiões é feito com abóbora e carne seca, lá é feito com mandioca e linguiça ou até mesmo com a famosa carne de sol ou serenada. Uma comidinha caipira que alegra a barriguinha e faz um carinho na alma, nos deixando com uma sensação de conforto sem fim depois de comê-la.

Para executar a receita – aqueça uma panela de fundo pesado e deixe murchar uma cebola com um pouco de alho e sal sofrido no pilão, assim que a cebola ficar transparente junte as rodelinhas de linguiças e deixe que a mesma dê uma boa refogada, então pode colocar a mandioca (devidamente descascada e cortada em cubos médios), coloque água quente e deixe começar a cozinhar, ela deve fica macia e começar a desmanchar, fazendo com que o caldo fique quase numa textura de creme mas com alguns bons pedaços de mandioca ainda, nesse momento prove o tempero e ajuste se necessário e coloque um toquinho de pimenta, sirva quentinho com torradinhas.

Um pote de sorvete, uma massa folhada e a modernidade na cozinha

sobremesa

Com a modernidade as coisas na cozinha também mudou muito, é meu povo o tal progresso também chegou para as panelas, mas devemos tomar cuidado com o poder de decisão que colocamos nas mãos de algumas muitas corporações que existe por aí – mas devo dizer que mesmo sabendo e tendo em mente muitas questões políticas definidas por vezes me entrego a essas facilidades e digo mais, até me derreto de amores por elas e não vejo nada de mais desde que seja algo com parcimônia. O fato é que eu peguei uma boa massa folheada (congelada) e cortei em círculos e forrei forminhas de cupcake, dentro eu depositei uma mistura de maçã picadinha com suco de um limão, 1 colher de sopa de açúcar, 1 colher sopa de farinha de trigo, um pouco de canela e toquinho de noz-moscada, levei ao forno quente e deixei assar até que a massa estivesse bem douradinha e o recheio cozido – retirei do forno e com as tortinhas ainda quente servi com uma bela bola de sorvete de creme.