Vol au Vent de beringela

beringela

Mas um *trucão pra você fazer bonito com *azamigas,  para acompanhar a birita geladinha de sexta a noite ou então para um pequeno almoço de segunda sem carne – bom o uso amiga você decidi mas devo dizer que esse pequeno porta joias de berinjelas é DEMAIS!

Na cestinha – 1 pacotinho de mini vol au vent (eu comprei da marca Arosa) e faça como manda a embalagem que não tem erro. Descasque as berinjelas (se for japonesa, não precisa de ficar de molho) e corte em cubinhos, pique uma cebola e sofra dois dentes de alho com um pedaço de pimenta fresca no pilão. Pegue uma panela de fundo pesado e refogue a cebola com alho sofrido, junte a beringela e deixe refogar até que a mesma esteja macia, nesse momento acrescente uma boa quantidade de azeitonas picadinha, uma boa regada de azeite honesto e um punhado de cebolinha, retire do fogo e reserve. *Gentem é tudo no olhômetro mesmo, força na peruca que tudo dá certo no final. Com recheio morninho, basta com auxilio de uma colher pequena, você encher suas cestinhas e pronto, tá feito a festa.

*Mas tarde eu volto com mais novidade, então se liga e se você curti o Feijão vai na pagina do mesmo no facebook e curta, siga e compartilhe, e pra não perder nenhuma novidade durante o dia, me siga também no instagram e aqui no blog.

 

Abobrinhas

abobrinha

Hoje chego aqui aqui com uma proposta de lanche relativamente rápido e saudável – eu sou fã incondicional da abobrinha acho muito legal a versatilidade desse alimento, que pode acompanhar perfeitamente meu arroz com feijão e fazer bonito em tortas, quiches, pães recheados, omeletes, aperitivos e até mesmo sanduíches, é ou não um alimento versátil? O único trabalho para fazer esse lanchinho é fatiar as abobrinhas em rodelinhas finas e colocá-las em um recipente em camadas, temperando cada camada com sal e pimenta moídas na hora, deixe a mesma chorar por um hora, despreze o caldo que se formou e com uma frigideira grande de fundo pesado e quente, regue um fio de azeite e comece a grelhar sua abobrinha, depois de grelhadinha você pode colocar em um vidro e cobrir com azeite e guardar na geladeira por um bom tempo, faça pizza, sandubas, aperitivos e omeletes – será um grande quebra galho. Para montar o lanche eu peguei duas fatias de pão integral e em uma delas passei uma camadinha de cream cheese, cobri com fatias de abobrinha grelhadas e está prontinho.

*Se quiser e gostar pode colocar umas folhinhas de hortelã.

* Se você ainda não segue o Feijão não se esqueça de começar a seguir pois durante o dia sempre pinta novidades, estamos também no instagram e se você gosta desse cantinho curta e compartilhe a página do Feijão no Facebook.

 

Falafel

falafel

Esse bolinho de grão de bico de Israel é uma das minhas paixões – sempre que vou a 25 de março aqui em Sampa eu chego lá no Raful para degustar essa e outras delícias servidas com muita propriedade por lá, mas como nem sempre posso ir até lá e em contra partida sempre me bate uma vontade de comer essa delicia eu me vi obrigada a aprender a fazer (isso sem falar no fato de ter um irmão vegetariano que também adora esse sanduba aí). Reza a lenda que ir até Israel e não comer falafel é como ir a Itália e não comer macarronada – eles são super tradicionais por lá e são vendidos em bancas e restaurantes espalhados por todos os lados, faz parte da dieta diária daquele povo. Enfim se você curte esse tipo de comida devo dizer que esse sanduíche é demais.

Para a receita do bolinho;

1/2 kg de grão de bico
70 g de salsinha ou coentro
6 dentes de alho esmagados
Uma pitada de sal
Uma pitada de pimenta preta
1/2 colher de chá de cominho
Duas cebolas médias
1 colher de bicarbonato de sódio
Óleo para fritar

Modo de preparo

Deixe os grãos de bico de molho em água fria com bicarbonato de sódio durante a noite. Coloque o grão de bico, coentro, alho e a cebola em um moedor de carne. Adicione os ingredientes restantes e misture em um recipiente. Aqueça o óleo a alta temperatura e abaixe o fogo ligeiramente. Use uma colher para fazer bolinhos de falafel (do tamanho de almôndegas) e fritá-los no óleo até dourar. Escorra o óleo dos bolinhos. Para montar o sanduíche você Coloque humus, tomate e cebola picados no pão sírio antes dos bolinhos, e depois acrescente verduras e legumes, como cenoura ralada,  repolho e o que mais gostar. Para finalizar, coloque tahine por cima e pronto!

*Se não tem receita de humus é só colocar na busca aí do blog pois temos essa receita aqui.

 

Pegando leve

sanduiche levinho

 

Pegando leve ou nem tanto assim, porque vamos combinar é difícil a carne é fraca mas…. Pensando que logo o verão está ai e que muitos querem estar com corpichuu em cima vou aparecer por aqui com algumas opções bem saudáveis e não tão calóricas para que você possa consumir no seu jantar.

Então é assim; pegue seu pão preferido (a se for integral melhor ainda né) passe um pouco de cream cheese, rodelinhas de pepino cortadas no mandolin, rodelas finas de tomate, folhas de mini agrião e algumas fatias de blanquet de peru e pronto.

*Dica tempere a saladinha que vai no sanduíche com pimenta moída na hora, sal e um fio de azeite honesto.

 

Capeletti in Brodo para uma despedida

in brodo

Vamos nos despedindo do inverno, pois segundona já vamos dar bom dia a primavera e que venha cheia de cores e sabores. Para essa despedida eu acabei por escolher esse capeletti que ao encher a cumbuquinha já nos da aquela sensação de conforto, carinho e abraço, uma cumbuquinha já é capaz de nos aquecer mas confesso que não foi o suficiente para acalmar a minha gula que queria mais e mais – na minha opinião o grande segredo dessa receita é fazer um caldo honesto, bem temperadinho e aí minha amiga(o) não tem erro, sirva com um pão rústico e pronto tá feito a festa.

A só uma dica se ainda não esta me seguindo te aconselho a começar pois durante o dia vai ter várias novidades e assim você não irá perder nenhuma – o Feijão também está no Face e Instagram, me acompanhe por lá e vão vendo outros conteúdos que não são colocados aqui.

 

  • 400 g de capeletti com recheio de sua preferência
  • 2 litros de água
  • 1 carcaça de frango (ossos, pés, pescoço, asas)
  • 2 talos de salsão picado grosseiramente
  • 3 maços de salsinha inteiros
  • 1 cebola cortada ao meio
  • 2 dentes de alho inteiros
  • 1 cenoura cortada em rodelas grossas
  • Sal a gosto
  • Queijo parmesão ralado a gosto

Modo de Preparo:

  • Numa panela grande coloque todos os ingredientes, exceto o capeletti e o queijo ralado. Leve ao fogo por 1 hora e meia  para fazer o caldo. Coe o caldo e cozinhe o capeletti no liquido coado, quando o capeletti estiver cozido, transfira para uma sopeira e sirva quente , com  queijo ralado e pão italiano.

*Neste eu retirei apenas a carcaça, cebola e dentes de alho e deixei a cenoura e cheiro verde picadinho que acrescentei mais para servir.

“É a dança do maxixe, é um homem no meio com……..

maxixe

Calma que aqui não é “bonde do tigrão” nem “é o tchan” da vida nem nada parecido, foi apenas uma alusão ao nome dessa deliciosa hortaliça. E quem já ouviu falar da dança do maxixe nem imagina que maxixe também é uma hortaliça africana que teria sido trazida ao Brasil pelos escravos. Além de ser uma fonte rica de minerais, o maxixe tem poucas calorias e rende sucos, saladas e pratos deliciosos de farofas a refogados.

Então foi assim; almoço honesto, saboroso, nutritivo, no melhor estilo comida que conforta vinda da vovó. Arroz, feijão, carne moída(ou boi ralado) com maxixe refogadinho, salsa de repolho e banana da terra frita.

*Fonte – Vocês podem saber tudo e muito mais do maxixe aqui.

Risoto de Risoni, com escalopinho suíno

risone

Risoni ou Orzo nada mais é do que uma massa de macarrão em formato de arroz, formato esse que nos dá o direito de brincar bastante e criar muitos pratos diferentes – Esse risoto é inusitado pelos ingredientes que apesar de simples, unidos ao sabor do leite de coco fica mesmo surpreendente. Acredito que você pode variar os legumes de acordo com o que tem ai na sua geladeira. Então *amor coloque a caixola para funcionar e crie receitas e combinações – hummm e não se esqueça de voltar aqui e me contar ou pelo email, face ou sinal de fumaça.

  • 1/4 xícara (chá) de azeite
  • 1 cebola picadinha
  • 1 talo de alho poró
  • 2 dentes de alho picadinho
  • 1 colherer (sobremesa) gengibre ralado
  • 1 colher (chá) de curry
  • 1 1/2 xícara (chá) de risoni
  • 1 xícara (chá) vinho branco
  • 700 ml de caldo de galinha
  • 200 ml de leite de coco
  • 150 g de cogumelo paris fresco e fatiado
  • 1 cenoura ralada
  • 1 abobrinha ralada (só a parte verde)
  • 1 pimenta dedo de moça picadinha
  • Sal e pimenta-do-reino à gosto
  • 50 g de manteiga gelada em cubinhos
  • 100 g de queijo parmesão ralado

Numa panela coloque o azeite, e refogue o alho poró, a cebola, o alho até dourar. Acrescente o gengibre, o curry e o risoni, misture tudo muito bem e adicione o vinho e deixe o álcool evaporar e coloque o leite de coco, junte aos poucos o caldo de galinha misturando sempre, até que o macarrão esteja macio mas “al dente”. Acrescente a cenoura, abobrinha e o cogumelo e deixe cozinhar por mais 3 min. Acerte o sal e a pimenta, coloque a manteiga gelada e o queijo ralado e mexa vigorosamente e sirva imediatamente.

*Para acompanhar eu temperei alguns escalopinhos suíno, com sal e pimenta moídos na hora e grelhei. Mas pode ser servido como prato único.

Nhoque de ricota, escarola e parmesão

espinafre

Hoje estou servindo a mesa mais tarde – um dia cheio, uma dor de cabeça dos infernos, mas como aqui não é muro das lamentações vamos seguindo com receitas pois é pra isso que vocês se sentam a mesa aqui comigo né bonita?!

Só tenho algo a declarar, essa receita é imperdível.

Processei 350gr de ricota com 1 xícara de escarola refogada (com alho e azeite, coisa rápida, só um susto na panela) e espremida. Juntei ao processador 1 ovo, 3 colheres de cream cheese e cerca de 1/2 xícara de parmesão (do ótimo!) ralado. Depois, é só transferir para uma tigela e acrescentar farinha até conseguir um ponto que dê para modelar bolinhas com a massa – aqui usei cerca de 3 colheres de sopa de farinha de trigo. Para finalizar é só temperar – sal (cuidado que o parmesão já é salgado!), pimenta do reino branca e noz moscada.

O próximo passo é modelar as bolinhas e levar para uma panela com bastante água fervendo e cozinhar como o nhoque tradicional. Ou seja, é só retirar com uma escumadeira os nhoques que subirem à superfície.

Para o molho eu fui de tomate e manjericão, bem tradicional, mas molho branco ou pesto também funcionam super bem. Você também pode trocar a ricota comum pela de búfala, pode trocar a escarola por espinafre, rúcula ou agrião (nesse caso nem é preciso refogar antes), pode juntar nozes, passas…

Galera pode se jogar com fé – que essa receita é de comer de joelhos.

*fonte – Retirei deste blog

 

Tudo em um espeto só

espeto

Quando se tem três filhos, marido, casa e *papagaio (esse eu não tenho,rs) por vezes tenho que incorporar uma Nigella e fazer um almoço rápido, que tenha todas as características de uma comida bem servida, ou seja: sabor, valor nutritivo e beleza – porque também comemos com os olhos né não *genteim. Bom pra isso eu pequei cubos de filé de frango temperados com um pouco de iogurte natural, sal e pimenta moído na hora e um dentinho de alho sofrido no macerador, reserve. Pegue os legumes que tiver na sua geladeira (tudo a olho mesmo amiguinha), corte em cubos grandes e tempere com sal e pimenta moídos e um toquinho de azeite – no meu caso utilizei berinjela, abobrinha, tomates e cebola. Bom com espeto em mãos fui alternando, frango, cubos de bacon e os legumes. Levei no grill e foi só vira-los até que estivessem no ponto. Meninas(0s) na boa se você não tem um grill, faça rapidinho esse investimento pois ele é bem útil. Eu servi os meus espetos com uma salsa de tomate e repolho, bem temperadinha.

*Se você não tiver afim de utilizar o bacon é só tirar – os legumes são os que tenha na geladeira e pode ser feito com outra carne e até mesmo só de legumes e nesse caso eu explico como deve ser feito nos próximos capítulos.